EnglishPortugueseSpanish

Um músico de 46 anos, de Los Angeles, nos EUA, se uniu à Nasa para desenvolver um microfone para o robô (rover) Perseverance, que pousou em Marte na última quinta-feira (18).

O dispositivo foi embutido no rover para captar sons do ambiente marciano, algo que nenhuma sonda que foi ao planeta vermelho conseguiu ainda.

publicidade

O projeto para o Perseverance foi desenvolvido por Jason Achilles Mezilis, um músico de Los Angeles, entusiasta do rock e de temas ligados ao espaço. Em suas redes sociais, o próprio artista se autodenomina “spaceaholic”.

Tudo começou em 2016, quando o Mezilis estava em um restaurante nas proximidades de Pasadena com seu amigo Joseph Carsten, que trabalhava em robótica no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa .

Os dois estavam falando sobre a dramática estratégia de pouso do rover Curiosity, e o músico disse que gostaria de ter ouvido os sonos de Marte. Foi aí que ele perguntou se seria possível montar um microfone no próximo módulo Perseverance. A busca obstinada de Mezilis por essa questão o levou a um encontro com a Nasa.

Jason Achilles Mezilis, músico que ajudou a desenvolver um microfone para o Perseverance
Músico ajudou a desenvolver microfone para rover. Imagem: Instagram Jason Mezilis

Rock ou astronomia?

Ao longo da carreira, Mezilis tocou em bandas de rock como Black Belt Karate, Your Horrible Smile e Owl, além de ter feito trabalhos de gravação e produção. Ele tem seu próprio estúdio no amplo armazém Downtown Rehearsal, onde gravou seu primeiro álbum solo, Comedown.

O músico também colaborou com orquestras sinfônicas húngaras e tchecoslovacas para gravar suas composições e agora está ajudando o tecladista do Guns N ‘Roses, Dizzy Reed, a produzir seu próximo álbum. Em outras palavras, ele teve uma carreira brilhante e diversificada, mas nada que tenha relação com ciência espacial.

Plano de “ouvir Marte” é antigo

As agências espaciais têm milhares de imagens da exploração planetária, mas pouquíssimas “trilhas sonoras alienígenas”.

Houve tentativas anteriores: no início dos anos 1980, duas sondas Venera soviéticas para Vênus carregavam microfones para estimar a velocidade do vento. Mas as gravações eram estáticas e incoerentes.

Outra missão da Nasa, a Mars Polar Lander, em 1999, também incluía um dispositivo do tipo, mas a sonda se despedaçou ao chegar. Em 2008, a Nasa tentou novamente com a Phoenix Mars, mas o microfone foi cancelado antes da decolagem.

Fonte: Wired

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!