A farmacêutica Pfizer é a primeira a receber o registro definitivo da vacina contra a Covid-19 no Brasil. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o imunizante nesta terça-feira (23). O pedido foi feito pelo laboratório à agência no início de fevereiro.

Em meio a negociações turbulentas com o ministério da Saúde, a fórmula desenvolvida em parceria com a BioNTech ainda não está disponível no país. Ela foi testada em voluntários por aqui, mas não chegou a ser importada.

publicidade

A compra do imunizante não inclui a transferência de tecnologia. Isso quer dizer que ela não será fabricada no Brasil e terá de vir do exterior. Segundo o ministério, o contrato proposto pela farmacêutica diz que a empresa não se responsabiliza por efeitos adversos graves ocasionados pelo imunizante – e esse é o motivo para a compra ainda não ter sido feita.

No momento, as fórmulas em uso no país são a CoronaVac, do laboratório chinês Sinovac, e Covishield, desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford. Ambas têm autorização de uso emergencial, mas acordos de transferência de tecnologia vão permitir que sejam fabricadas por instituições brasileiras (Instituto Butantan e Fiocruz, respectivamente).

Íntegra da nota da Anvisa para a Pfizer

“Como Diretor-Presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, informo com grande satisfação que, após um período de análise de dezessete dias, a Gerência Geral de Medicamentos, da Segunda Diretoria, concedeu o primeiro registro de vacina contra a Covid 19, para uso amplo, nas Américas.

O imunizante do Laboratório Pfizer/Biontech teve sua segurança, qualidade e eficácia, aferidas e atestadas pela equipe técnica de servidores da Anvisa que prossegue no seu trabalho de proteger a saúde do cidadão brasileiro.

Esperamos que outras vacinas estejam em breve, sendo avaliadas e aprovadas.

Esse é o nosso compromisso.”

Diretor-presidente Antonio Barra Torres

Entre as autoridades de referência pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Anvisa é a primeira a conceder o registro de uma vacina Covid-19, com 7 (sete) locais de fabricação certificados, refletindo a dedicação, planejamento e compromisso da Agência com o combate a pandemia. O registro abre caminho para a introdução no mercado de uma vacina com todas as salvaguardas, controles e obrigações resultantes dessa concessão.

Diretora Meiruze Freitas

Via: G1