Categoras: Ciência e Espaço

Amazônia 1: primeiro satélite 100% brasileiro é lançado para o espaço

O satélite brasileiro Amazônia 1 foi lançado para o espaço com sucesso. O lançamento ocorreu no Centro Espacial Satish Dhawan, na ilha de Sriharikota, na Índia. Este é o primeiro satélite totalmente feito no Brasil a entrar em órbita.

O lançamento ocorreu como o esperado: às 1h54 (horário de Brasília), o foguete batizado de “Veículo de Lançamento de Satélites Polares” (Polar Satellite Launch Vehicle, ou PSLV) foi lançado na missão PSLV-C51, transportando tanto o Amazônia 1 do Brasil com outros 18 satélites.

O satélite brasileiro precisou de 17 minutos após o lançamento para se separar do foguete e iniciar suas atividades, incluindo os processos de abertura do painel solar, estabilização da orientação em relação à Terra, e verificação de sistemas.

O foguete indiano PSLV-C51, já na plataforma de lançamento do Centro Espacial Satish Dhawan em Sriharikota, na Índia. Imagem: ISRO

Amazônia 1 monitorará desmatamento

O objetivo principal do Amazônia 1 é ajudar no monitoramento do desmatamento na Amazônia. Ele será um dos equipamentos que formarão o sistema Deter de observação como parte da Missão Amazônia. A expectativa é que o satélite comece a tirar fotos da Terra a partir do espaço cinco dias após se estabilizar na órbita.

O Amazônia 1 será o terceiro satélite brasileiro de sensoriamento remoto e deverá atuar em conjunto com o CBERS-4 e ao CBERS-4A, desenvolvidos em parceria com a China. A Missão Amazônia também prevê o lançamento de mais dois satélites: o Amazônia-1B e Amazônia-2.

“A Missão Amazônia vai consolidar o conhecimento do Brasil no desenvolvimento integral de uma missão espacial utilizando satélites estabilizados em três eixos, visto que os satélites de sensoriamento remoto anteriores foram desenvolvidos em cooperação com outros países”, afirmou o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em nota.

Via INPE

Esta post foi modificado pela última vez em 28 de fevereiro de 2021 11:13

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Daniel Junqueira