Em coletiva realizada nesta segunda-feira, 1º, o governo de São Paulo apresentou algumas informações novas sobre o andamento da pandemia de Covid-19 no estado. Segundo o secretário de saúde, Jean Gorinchteyn, uma parte importante deste novo momento é a internação de jovens, que não eram entendidos como grupo de risco.

Desde o início da pandemia, sabe-se que a maior parte das mortes se concentram entre quem tem mais de 60 anos. No entanto, o que os primeiros meses de 2021 mostram é um sinal de que os mais jovens também podem estar em risco.

publicidade

Segundo Gorinchteyn, essas pessoas se sentem mais à vontade para sair, acreditando que no máximo ficarão sem paladar ou olfato, o que as coloca mais em risco. Além disso, por serem mais saudáveis, tendem a demorar a buscar atendimento médico quando sua condição já está avançada. Muitas vezes, os pacientes já chegam com nível de saturação de oxigênio no sangue muito baixo, o que tem sido uma marca da Covid-19: os infectados têm pouca oxigenação, mas não percebem e chegam ao hospital caminhando normalmente.

Há números que mostram a mudança na situação. Segundo Gorinchteyn, entre os pacientes mais jovens internados, 60% estão em UTI e 40% ficam em leitos de enfermagem. Antigamente, essa proporção estava ao contrário, com 60% dependendo apenas de leitos de enfermagem e o restante precisando utilizar as UTIs.

O secretário de saúde não apresentou uma justificativa para esse novo momento da pandemia, mas as declarações são compatíveis com o que se observou em Manaus no início do ano, quando o sistema de saúde colapsou. Médicos alertavam que mais jovens estavam sendo mais afetados pela doença, possivelmente em decorrência da nova variante.

Gorinchteyn também atualizou o número de pessoas internadas no estado, e a situação segue sendo a pior desde o início da pandemia. São 7.163 pacientes dependendo de leitos de UTI, com uma média de 100 novas internações por dia, o que é 14,7% a mais do que no pico da primeira fase da doença, na 29ª semana epidemiológica de 2020, em julho.

Com esses indicadores preocupantes, não é à toa que São Paulo decidiu endurecer em partes as restrições em seu território, com a implementação do “toque de restrições” durante a madrugada, com 286 autuações entre sexta-feira e domingo, além de regredir quase todo o estado para, no mínimo, a fase laranja do Plano SP.