EnglishPortugueseSpanish

Pesquisadores do Imperial College, de Londres, criaram uma espécie de mureta ecológica curva que pode diminuir os efeitos da poluição do ar nos pedestres. A intenção deles é estudar como técnicas de modelagem fixa instaladas em beira de estradas podem auxiliar no desvio de partículas

A ideia é relativamente simples, estruturas vazadas em alumínio algumas plantas áreas dos muros. O objetivo é que as partículas que saem dos escapamentos dos carros fiquem presas nas muretas e não sejam aspiradas pelos pedestres que caminham na calçada.

publicidade
Ilustração do modelo de mureta ecológica
Ilustração do modelo de mureta ecológica. Crédito: Imperial College of London

Segundo os pesquisadores, o principal foco são as comunidades de baixa renda, que são mais propensas a estar situadas em áreas próximas a vias com grande volume de tráfego.

A inspiração para o modelo foram os defletores dos aeródromos e as paredes acústicas das rodovias de Alemanha e Holanda, os estudiosos do Imperial College descobriram que estruturas curvas são mais eficientes em melhorar a qualidade do ar nas estradas por um custo baixo.

Mureta ecológica: pesquisadora se assustou vendo o filho brincar

A ideia do projeto surgiu quando Tilly Collins, do Centro de Política Ambiental do Imperial College, observava seu filho brincar no parquinho da escola, que fica ao lado de uma avenida movimentada de Londres, e notou uma camada espessa de ar visivelmente poluído próxima a ele.

“Eu pensei comigo mesmo, o que poderia ser feito? Então, comecei a pesquisar o efeito das paredes ao longo das estradas”, disse Collins. “Ficou evidente que ao longo do lado de pedestres dessas paredes de beira de estrada, existem vórtices onde a qualidade do ar pode realmente ser ainda pior”, completou.

Além disso, as crianças também estão mais expostas à poluição do ar por estarem mais próximas do solo, que é onde os poluentes mais pesados se depositam com o tempo.

Apesar de existirem alguns desafios para a implementação das muretas ecológicas, os pesquisadores se mostram confiantes na adoção dos modelos por parte dos governos, principalmente na Europa, que tem uma visão de neutralizar suas emissões de carbono já no médio prazo.

Via: Tech Xplore

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!