EnglishPortugueseSpanish

Depois de mais de um ano da pandemia do novo coronavírus, ainda há muito para aprender sobre o microrganismo que já matou mais de 2,5 milhões de pessoas. O que já se sabe, no entanto, é que, apesar de ser descrita como doença respiratória, a Covid-19 pode afetar outros órgãos, como rins, coração e cérebro, além de deixar sequelas nos pulmões.

E os rins estão entre os mais afetados pela doença, de forma direta e indireta — quando o enfraquecimento do organismo os leva à falência. Cerca de 50% dos infectados que procuram ajuda em hospitais já chegam com manifestações da doença nos rins.

publicidade

Alguns têm hematúria, quando glóbulos vermelhos são eliminados na urina, e outros chegam com proteinúria, quando há uma grande concentração de proteínas que os órgãos não são capazes de filtrar. Para quem apresenta esses efeitos da Covid-19 nos rins, o risco de morte é até três vezes maior — e essa situação é ainda mais crítica quando há a necessidade de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Nesses casos, metade dos pacientes apresenta lesão renal aguda (LRA): condição em que os rins perdem rapidamente a capacidade de filtrar resíduos do sangue. Consequentemente, 20% dos pacientes em tratamento intensivo precisam de diálise para substituir parte das funções renais.

Covid-19
Covid-19 pode afetar gravemente os rins. Créditos: Shutterstock

Manifestações da Covid-19 nos rins

A primeira e principal forma pela qual a Covid-19 afeta os rins é a replicação do novo coronavírus nas células renais. Esse processo faz elas trabalharem até explodirem.

Já entre as consequências indiretas das manifestações da Covid-19 nos rins uma das principais é a desregulação do sistema imune. Isso provoca a tempestade de citocinas, que inflama os órgãos e pode causar nefrite. Nesse caso, as células de defesa do organismo atacam os néfrons, responsáveis pela filtragem do sangue.

Além disso, se o paciente entrar em choque, algo relativamente comum em doenças graves, a pressão sanguínea cai abruptamente, o que afeta especialmente os rins. E há, ainda, o risco de nefrotoxicidade, que é quando os medicamentos utilizados para manter os pacientes sedados causam efeitos venenosos aos rins.

1% dos pacientes com Covid-19 tiveram falência renal
1% dos pacientes internados com Covid-19 tiveram falência renal. Créditos: Alexandros Michailidis/Shutterstock

Impactos da Covid-19 nos rins

Um estudo com os primeiros 200 infectados com o novo coronavírus internados na UTI do hospital Israelita Albert Einstein em São Paulo, identificou que a taxa de óbito entre os que desenvolveram LRA foi de 24%. Além disso, 40% dos pacientes que precisaram de diálise morreram.

Apesar de parecer muito, essas proporções são relativamente baixas quando comparadas a dados coletados em outros países. Em relação aos pacientes com Covid-19 que desenvolveram LRA, entre 30% e 60% morreram, enquanto a proporção entre os que precisaram de diálise foi de 55% a 100% de óbitos. Comparações de diversas pesquisas apontam que 1% dos pacientes com Covid-19 internados em UTIs tiveram falência renal.

Via: UOL