A China está se preparando para uma segunda tentativa de lançamento do Longa Marcha 7A, foguete projetado para colocar uma carga de até 7 toneladas em uma órbita de transferência geoestacionária (GTO).

O foguete, que foi movido no último domingo (7) para a plataforma de lançamento, está sendo desenvolvido para substituir o atual Longa Marcha 3B, que é capaz de transportar até 5,5 toneladas para GTO.

publicidade

Além da maior capacidade de carga, o Longa Marcha 7A usa como combustível uma mistura de kerosene e oxigênio líquido (kerolox) no núcleo e hidrogênio e oxigênio líquido (hydrolox) no terceiro estágio, ambas muito mais seguras do que as usadas em foguetes anteriores.

Em contraste, o Longa Marcha 3B usa combustíveis hipergólicos, como tetróxido de nitrogênio (N2O4) e dimetil-hidrazina assimétrica (UDMH), que são tóxicos, corrosivos e cancerígenos.

Outra vantagem no novo foguete está na trajetória de voo: o Longa Marcha 3B é lançado a partir de Xichang, na província de Sichuan, e seu primeiro estágio pode cair em áreas habitadas. Já o Longa Marcha 7B parte do espaçoporto de Wenchang, no litoral, e sua trajetória sobrevoa o oceano, eliminando o risco causado por uma eventual queda de destroços.

A primeira tentativa de lançamento do Longa Marcha 7A, em março passado, terminou em fracasso. O governo chinês nunca divulgou o motivo da explosão, mas especula-se que ela teria sido causada por uma falha de pressurização logo após a separação entre o primeiro e segundo estágios.

Ainda não há uma data oficial para o lançamento do Longa Marcha 7A. Entretanto, há um alerta do governo chinês para o fechamento de estradas na região de Wenchang entre as 21h de 10 de março e as 21h de 11 de março (horário de Brasília). 

A China não costuma transmitir seus lançamentos, então só saberemos do sucesso, ou não, da missão após o ocorrido.

Fonte: Space News