EnglishPortugueseSpanish

 

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, afirmou nesta terça-feira (9) que a tecnologia 5G brasileira será implantada primeiramente de forma híbrida, com 5G standalone e redes 4G de forma concomitante.

“Colocamos um prazo de 8 anos para investir no standalone, começando com um número pequeno [de antenas] para o ano que vem, mas já disponível nas capitais”, disse o ministro durante audiência pública feita pelo Grupo de Trabalho (GT) do 5G da Câmara dos Deputados.

publicidade

A previsão é de que, até julho de 2022, 3,8 mil antenas estejam implementadas e funcionando nas 27 capitais.

Ministro Fabio Faria
Crédito: Ministro Fabio Faria/Divulgação

Na audiência, o ministro também complementou que, “em conversa com operadoras, chegamos a um consenso para podermos estender o prazo até 2028”, quando o 5G está previsto para entrar em pleno funcionamento.

O ministro ressaltou que a ideia é que, a cada ano, no entanto, o 5G standalone avance “para que possamos nos igualar aos outros países que já iniciaram [a implementação da tecnologia]”.

No final de fevereiro, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) definiu as regras para o leilão de frequências, que está previsto para acontecer ainda no primeiro semestre deste ano.

Com o 5G standalone a partir de 2022, o ministro afirma que será possível vislumbrar implementações como “telemedicina, fábricas conectadas e, ao escalonar, fazer com que empresas vendam de acordo com a demanda”, além de veículos autônomos.

Para o ministro, é de interesse de todos que o leilão seja feito rapidamente, porque isso irá reverter em ganhos para as contas públicas. “[Isso significa] Trilhões de reais nos próximos anos – é muito dinheiro que vem para a economia, então é de extrema importância acelerarmos o leilão”, disse ele.

Tuíte feito pelo ministro após audiência do Grupo, nesta terça-feira (9).

Desdobramentos

Ainda durante a apresentação, Faria também discutiu a implementação do 5G para atender as zonas rurais.

Segundo o titular da pasta, a expectativa é investir R$ 857 milhões do orçamento previsto para este ano especificamente para o campo.

Vale lembrar que, até o ano passado, números divulgados pelo Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que mais de 70% das propriedades rurais em solo nacional ainda não possuem acesso à internet.

Outra questão abordada pelo ministro foi sobre o programa Norte Conectado que, segundo ele, é essencial para avançar com a conexão no país. “O Norte Conectado vai atingir 10 milhões de pessoas na região”, disse, afirmando também que serão investidos R$ 1,5 bilhão nesse sentido.

O programa foi instaurado para expandir a infraestrutura de comunicações na Região Amazônica por meio da implantação de um backbone em fibra óptica.

A iniciativa prevê também a possibilidade de integração aos países vizinhos que compõem a Pan Amazônia.

Para quem tiver interesse, a gravação da audiência está disponível na íntegra no canal da Câmara dos Deputados, no YouTube.