Um dado importante para saber mais sobre o nosso destino cósmico é a velocidade de expansão do universo. Até hoje, mesmo com dados cada vez mais precisos, os astrônomos não conseguiram chegar a uma resposta definitiva sobre o tema.

Mas uma nova pesquisa conduzida por uma equipe da Universidade de Berkeley, na California, conseguiu colocar mais uma pulga atrás da orelha dos cientistas em relação a essa polêmica.

publicidade

Usando como base o brilho estelar médio de 63 galáxias elípticas gigantes, os cientistas tentaram determinar qual é a velocidade de expansão do universo, conhecida como a constante de Hubble.

Mas agora, os pesquisadores chegaram a um resultado completamente diferente dos anteriores: a constante seria de mais ou menos meio quilômetro por segundo.

Até hoje, as hipóteses mais aceitas entre os astrônomos são constantes que variam entre 1,4 a 2 e meio quilômetros por segundo.

Essa incompatibilidade nos resultados é algo que preocupa os cientistas, já que a constante de Hubble é um parâmetro importante na compreensão da física e da evolução do universo, além de ser a chave para se compreender a energia escura. Ela controla a taxa de expansão e representa cerca de dois terços da energia do universo.