EnglishPortugueseSpanish

Após uma indicação de que a Apple poderia encerrar de vez a produção do iPhone 12 mini, o portal Nikkei Asia revelou na quarta-feira (10) que a empresa de Cupertino pretende reduzir drasticamente a produção do modelo. A mudança, segundo a publicação, faz parte de uma nova estratégia nos planos da companhia para 2021.

Além do modelo mini, o celular mais barato da marca com tecnologia 5G, a Apple também deve reduzir os pedidos de todos os iPhones em 20% se comparado a dezembro do ano passado. No final de 2020, a Apple, inclusive, chegou a pedir aos seus fornecedores componentes suficientes para fabricar 96 milhões de aparelhos no primeiro semestre de 2021. Esse total inclui outros modelos, como o iPhone 11, o smartphone mais vendido em 2020, e o iPhone SE.

publicidade

Escassez de peças e baixa demanda

De acordo com a publicação, alguns fornecedores já interromperam a produção de peças para o iPhone 12 mini. As estimativas indicam que a Apple pode cortar a produção do modelo em 70%. Uma das fontes do Nikkei Asia aponta que os componentes do modelo serão realocados para a fabricação do iPhone 12 Pro e iPhone 12 Pro Max.

iPhone 12 Mini
iPhone 12 mini não correspondeu às expectativas da Apple. Imagem: Jack Skeens/Shutterstock

A prática também indica uma possível reserva de componentes e peças em um momento em que as fabricantes de smartphones, PCs, automóveis e outros setores se preparam para enfrentar os suprimentos limitados de chips e outros recursos.

O analista Jeff Pu também disse ao portal asiático que a Apple julgou mal a demanda do iPhone 12 mini: “Se o preço for mais ou menos igual, muitos consumidores preferem escolher o antigo iPhone 11, que tem uma tela maior”. Outro problema do modelo é a sua bateria, menor do que a do iPhone 12 e do iPhone 11.

Até o fim do ano passado, as estimativas apontavam que apenas 15% dos pedidos da linha iPhone 12 foram do modelo mini, apontando que a adição do celular mais compacto não correspondeu às expectativas dos usuários.

Apple segue quebrando recordes

Enquanto isso, a Apple continua desfrutando de uma alta demanda por seus modelos premium. O próprio iPhone 11, lançado em 2019, continua relevante em mercados, como na Índia.

De acordo com a empresa marketing IDC, a Apple vendeu 74,3 milhões de iPhones entre janeiro e junho do ano passado. O atual plano de produção, de 75 milhões de unidades, ainda representa um ligeiro crescimento, embora a estratégia esteja sujeita a mudanças de acordo com a dinâmica do mercado no decorrer do ano.

Considerando todo o ano de 2020, a companhia vendeu 206 milhões de iPhones. Ao todo, as vendas aumentaram em 7,9% em relação a 2019, mesmo com a queda global de 5,9% no mercado de smartphones.

Fonte: Nikkei Asia