EnglishPortugueseSpanish

A indústria audiovisual foi fortemente abalada pela pandemia do coronavírus e profissionais profissionais e organizações do audiovisual negro ficaram cheios de incógnitas. Para tentar ajudar a contornar o problema, a Netflix vai doar R$ 3 milhões ao Fundo de Amparo aos Profissionais do Audiovisual Negro (Fapan).

A iniciativa da plataforma de streaming é parte de um fundo de US$ 150 milhões disponibilizado em mais de 20 países, para apoiar quem enfrenta dificuldades no setor. De acordo com Rodrigo Antonio, sócio-diretor da Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro (Apan), no ano passado, parte do dinheiro doado pela empresa, no valor de R$ 2 milhões, foi destinado à Apan, Instituto Querô, Instituto Criar e Instituto Nicho 54 em programas voltados a talentos negros espalhados pelo país.

publicidade

LEIA MAIS:

“Somos a primeira ou talvez segunda geração de criadores pretos brasileiros que têm a oportunidade de derrubar os muros que nos separam de uma narrativa verdadeiramente plural. Palavras como diversidade e representatividade não dão mais conta da multiplicidade da negritude. Nossas histórias são urgentes, ao passo em que mais pessoas querem se ver refletidas em diferentes telas”, destacou Rodrigo.

Ele lembrou que a região Norte tem apenas um curso de cinema em universidades federais, na Universidade Federal do Pará (UFPA). Rodrigo Antonio também citou que o estado do Amazonas é o terceiro do Brasil maior demanda de locação internacional, perdendo apenas para Rio de Janeiro e São Paulo.

Imagem do Teatro Amazonas, em Manaus.
O estado do Amazonas é o terceiro do Brasil com maior demanda de locação internacional. Imagem: Prefeitura de Manaus/Divulgação

“Mas são poucas as produções que nascem lá. Então, pergunto: quantas histórias deixam de ser contadas, todos os dias?”, questionou. “Cinema negro não é, nem deve ser tratado como um gênero. É uma revolução”, complementou.

O auxílio deve beneficiar 875 profissionais autônomos e 275 representantes legais de empresas vocacionadas. Profissionais interessados no auxílio devem se inscrever no site da Apan a partir de domingo, dia 21 de março, quando é celebrado o Dia Internacional contra a Discriminação Racial, e segue até o dia 4 de abril.

Cada profissional aprovado vai receber um pagamento de R$ 2 mil, enquanto os representantes das empresas recebem R$ 4 mil. Em parcela única, os depósitos serão feitos na conta bancária informada no cadastro. O auxílio é limitado a uma pessoa por família. Os documentos necessários para a inscrição estão listados no site da Apan.

No comunicado oficial, a Netflix afirma que “vidas negras importam e suas histórias também. Esperamos que essas iniciativas – somadas a tantas outras que ainda são necessárias – possam reduzir um pouco as desigualdades e fazer com que essas potências, espalhadas pelo Brasil, se encontrem e ampliem suas vozes. Assim, mais brasileiros também poderão se ver refletidos na tela”.


Experimente o Disney+. Clique aqui e Assine agora!