A fintech SumUp anunciou o aporte de R$ 1,3 bilhão para operação no Brasil, entregue pela matriz alemã da companhia.

Com o montante, a empresa pretende expandir os negócios em solo nacional, com intuito de – pelo menos – dobrar a operação dentro dos próximos três anos.

publicidade

Além disso, segundo o CEO da empresa para a América Latina, Fabiano Camperlingo, o montante será injetado em outras iniciativas. São elas: desenvolvimento de uma nova solução voltada a microempreendedores, contando com adquirência, banco digital e produtos de crédito; aquisição de novos clientes e atração de novos talentos.

Investimentos
Aporte recebido pela SumUp será revertido em expansão do negócio em solo nacional. Crédito: Shutterstock

“Com isso, prometemos capacitar milhões de pequenas empresas em todo o mundo para que tenham sucesso fazendo o que amam”, disse o executivo, em publicação para anunciar a novidade.

A movimentação faz parte de um aporte muito maior que o brasileiro: 750 milhões de euros (quase R$ 5 bilhões, na cotação atual), feito por meio de fundo de investimentos formado pelas empresas Goldman Sachs, Temasek, Bain Capital Credit, Crestline e outros fundos administrados pela Oaktree Capital Management.

Com o valor total do aporte, a SumUp pretende também expandir os negócios globalmente, adentrando ainda mais na Europa e Ásia, além de levar suas soluções para outros mercados da América Latina – como Argentina, México e Peru.

Fora isso, parte do investimento será aplicado na criação de novos serviços e possíveis aquisições futuras.

Leia mais:

A Goldman Sachs e a Bain Capital, vale citar, já são antigos investidores da SumUp.

Em 2019, as companhias lideraram uma rodada de 330 milhões de euros, que também contou com a participação da HPS Investment Partners e do TPG Sixth Street Partners. Desse total, R$ 500 milhões vieram para a operação brasileira.

pagamento móvel
SumUp é especialista em pagamentos móveis. Créditos: PopTika/Shutterstock

Expansão acelerada

Fundada em 2012 em Berlim, a SumUp se estabeleceu no mercado europeu como especialista em pagamentos móveis (mPOS).

No mercado nacional, a empresa chegou com o propósito de ajudar no crescimento de pequenos negócios, e ficou conhecida principalmente pela oferta de maquininhas proprietária de pagamento para pequenas empresas.

Só no Brasil, a fintech soma 500 mil clientes, quase 100% deles microempresários individuais e possui 1.046 colaboradores.

Atualmente, a companhia tem operação em 33 mercados, sendo os mais recentes Chile, Colômbia e Romênia. No total, somam 3 milhões de clientes globalmente.

A fintech tem por trás grandes investidores como American Express, Groupon e BBVA Ventures, do grupo espanhol Bilbao Vizcaya Argentaria.

Via: TechCrunch e CNN