Google removeu mais de 3 bilhões de anúncios por violarem seus termos de uso ano passado

O Google removeu 3,1 bilhões de anúncios por irem contra as diretrizes da plataforma em 2020. O site revelou que a maioria dessas violações era por conta de discursos de ódio e informações falsas relacionadas à Covid-19.

No blog do Google ADS, a empresa divulgou seu relatório anual de segurança de anúncios. No texto, Scott Spencer, vice-presidente de privacidade e segurança, diz que a gigante das buscas está comprometida em evitar anúncios com Fake News em suas páginas. Por conta disso, ano passado ainda foi lançado um novo sistema de verificação de anunciantes, para tornar ainda mais criteriosa análise.

Os números

Apesar de o relatório já existir há bastante tempo, essa é a primeira vez que o Google divulga números sobre anúncios bloqueados em suas plataformas. A empresa também explica que 2020 foi o primeiro ano em que utilizaram uma ferramenta mais aprimorada de detecção automática para remover os anúncios.

“A restrição de anúncios nos permite adaptar nossa abordagem com base na geografia, nas leis locais e em nossos programas de certificação, para que os anúncios aprovados sejam exibidos apenas quando apropriado, regulamentado e legal”, diz um trecho do texto.

Leia mais:

Mudanças por conta da Covid-19

O Google ainda cita que removeu anúncios por conta de sua política de eventos delicados, criada no começo de 2020 com o aumento dos casos de Covid-19. A nova regra foi feita para evitar preços abusivos em produtos como álcool em gel e desinfetantes, além de evitar a venda de supostos remédios milagrosos que prometem curas falsas.

“À medida que aprendíamos mais sobre o vírus e as organizações de saúde emitiam novas orientações, desenvolvemos nossa estratégia de fiscalização para começar a permitir que provedores médicos, organizações de saúde, governos locais e empresas confiáveis ​​apresentassem atualizações críticas e conteúdo oficial, evitando o abuso oportunista”, completa ainda o anúncio.

O número de anúncios que o Google removeu nessa categoria é de 99 milhões. Além disso, ainda tiveram muitos casos de publicidade desativada por tentativas de fraudes na própria plataforma. Pelo menos 100 milhões de anúncios de golpistas foram apagados.

O texto encerra citando que o trabalho do Google para evitar o compartilhamento de notícias falsas nos resultados de pesquisa foi ampliado com as eleições americanas. A expectativa da companhia é expandir ainda mais os programas de segurança em 2021.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Esta post foi modificado pela última vez em 19 de março de 2021 20:18

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Lucas Soares