Cientistas europeus garantem ter encontrado a causa de casos raros de coágulos no sangue, potencialmente mortais, em pessoas que receberam a vacina contra Covid-19 da AstraZeneca/Oxford. Aos jornais internacionais Wall Street Journal e Deutsche Welle, eles também informaram que descobriram um possível tratamento.

Duas equipes de pesquisadores na Noruega e na Alemanha concluíram, de forma independente, que a vacina pode desencadear uma reação auto-imune. Isso faria com que o sangue coagule no cérebro, o que ofereceria uma explicação para os casos isolados de tromboembolismo na Europa.

publicidade
AstraZeneca: Cientistas dizem ter encontrado causa de coágulos
AstraZeneca: cientistas dizem ter encontrado causa de coágulos. Imagem: ShutterShock

As conclusões ainda não foram revistas por publicações científicas, mas o Instituto Paul Ehrlich (RKI), que é a agência de vacinação alemã, está atualmente analisando as investigações.

Os pesquisadores afirmam que um tratamento, usando medicamentos comuns, pode ser atribuído às pessoas que sofrerem com coágulos após terem tomado a vacina da Astrazeneca. Os cientistas, porém, dizem que este tipo de tratamento só é indicado a pacientes que desenvolvam coagulação sanguínea e não como forma de prevenção.

Vacina foi brevemente suspensa na Europa

Vários países da Europa interromperam brevemente a utilização da vacina de Oxford nesta semana, após mais de 30 casos de diagnóstico com a condição conhecida como “trombose do seio venoso cerebral”. A maioria das pessoas que receberam o imunizante e desenvolveram coágulos foram mulheres adultas, com menos de 55 anos.

Leia mais:

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e outras autoridades farmacêuticas da União Europeia investigaram os casos, mas ficou determinado que os benefícios superavam os riscos potenciais da vacina. Após isso, as vacinações foram retomadas.

Alguns países, como Alemanha, França e Itália, retomaram a vacinação com a injeção da AstraZeneca com um aviso adicional de que o imunizante poderia estar relacionado à coagulação do sangue.

Fonte: The Wall Street Journal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!