A vacina contra a Covid-19 da AstraZeneca, que tem a média de eficácia de 70% contra o coronavírus, é ineficaz contra a variante sul-africana. Segundo informações do primeiro estudo que compara diretamente pessoas imunizadas com as que não foram frente a nova variedade do Sars-CoV-2, o fármaco de Oxford tem sua eficácia reduzida para 10% contra a cepa da África do Sul.

Para obter os resultados, os pesquisadores repetiram o estudo da fase 3 do imunizante na África do Sul, agora que a variante ‘B.1.351’ é dominante no país. Um grupo de cerca de 900 pessoas recebeu duas doses da vacina da Astrazeneca e o outros, também de 900 pessoas, tomou placebo.

publicidade
Vacina foi feita em parceria entre a Universidade de Oxford e a farmacêutica Astrazeneca. Imagem: Lutsenko_Oleksandr / Shutterstock.com
Vacina foi feita em parceria entre a Universidade de Oxford e a farmacêutica Astrazeneca. Imagem: Lutsenko Oleksandr / Shutterstock.com

Os grupos foram observados nas semanas seguintes. Segundo os resultados da pesquisa, entre os que receberam o placebo, 20 em 714 pessoas se contaminaram e tiveram formas leves e moderadas de covid-19. A mesma ineficácia se mostrou entre os vacinados, vistou que 19 em 750 pessoas apresentaram os mesmos sintomas da doença.

O estudo foi feito por cientistas da Universidade de Oxford e da AstraZeneca, que desenvolveram a vacina. Nos próximos meses, estudos semelhantes serão feitos em vários locais do planeta para garantir que os imunizantes continuam eficazes perante as novas variantes do coronavírus.

Leia mais: 

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!