A Apple e a Epic Games listaram seus CEOs, Tim Cook e Tim Sweeney como testemunhas em potencial no caso que envolve o sistema de pagamento da App Store e o jogo ‘Fortnite‘, segundo documentos judiciais.

A batalha judicial se arrasta desde agosto de 2020, quando a Epic Games tentou evitar uma taxa de 30% na App Store, lançando seu próprio sistema de pagamento no aplicativo. Tal ação levou a Maçã a banir o ‘Fortnite’ de sua loja. Em resposta, a Epic processa a Apple por violar leis antitruste com a decisão.

publicidade

Além do CEO Tim Cook, a Apple também nomeou o chefe de Software Craig Federighi e o vice-presidente da App Store Matt Fischer em uma lista provisória de testemunhas submetida ao Tribunal Distrital dos Estados Unidos.

Tim Cook será uma das testemunhas da Apple em julgamento contra a Epic Games. Foto: John Gress Media Inc/Shutterstock

Na lista de testemunhas da Epic Games também são indicados o gerente geral Steve Allison, e Thomas Ko, chefe de Estratégia de Negócios Online, para o julgamento previsto para 3 de maio.

Em comunicado público, a Apple declarou estar confiante com o resultado do julgamento:

“Nossos executivos seniores estão ansiosos para compartilhar com o tribunal o impacto positivo que a App Store teve sobre a inovação, as economias em todo o mundo e a experiência do cliente nos últimos 12 anos. Estamos confiantes que o caso provará que a Epic violou propositalmente seu acordo apenas para aumentar suas receitas, o que resultou em sua remoção da App Store. Ao fazer isso, a Epic contornou os recursos de segurança da App Store de uma forma que levaria à redução da concorrência e colocaria a privacidade dos consumidores e a segurança dos dados em um tremendo risco”.

A desenvolvedora do ‘Fortnite’, por sua vez, afirmou que a oposição coletiva à política da Apple tem crescido constantemente e que suas testemunhas vão destacar a necessidade de uma competição mais aberta.

Leia mais:

Via: Reuters / TechCrunch