A montadora Tesla passou a aceitar, nesta quarta-feira (24), compras de seus veículos com a criptomoeda bitcoin, nos Estados Unidos. Mas, o próprio documento de termos e condições alerta os clientes interessados de que esta forma de pagamento talvez não seja assim uma boa ideia.

Financeiramente, “não faz muito sentido”, de acordo com a própria companhia. O documento da Tesla destaca a necessidade do comprador de prestar muita atenção ao colocar o número da carteira digital e a quantidade de bitcoins. É preciso lembrar também a volatilidade da moeda.

publicidade

Leia mais:

“Você é responsável por iniciar um pagamento de bitcoins no exato preço indicado na página. Cada preço em bitcoin expira, e depois você precisa solicitar outro preço e outra janela se abre na página de pagamento, podendo ser solicitado que recomece o processo”, diz o documento divulgado pela publicação britânica Electrek.

O que ocorre mesmo é que o cliente está comprando o carro elétrico em dólares convertidos. E é aí onde entra o problema: caso precise ser reembolsado ou vá vender o carro novamente, o comprador vai receber o valor do veículo em dólares, não na criptomoeda, podendo receber menos do que gastou.

Carros da Tesla já podem ser comprados com Bitcoin. Imagem: Tesla/Reprodução
Carros da Tesla já podem ser comprados com Bitcoin. Imagem: Tesla/Reprodução

“Reservamos o direito de devolver o exato valor do preço bitcoin que você pagou no momento da compra ou a quantidade de dólares americanos equivalente ao preço em dólar do produto que você comprou, a nosso exclusivo e absoluto critério, levando em consideração a agilidade da operação. O mesmo se aplica às taxas e custos acidentais que você deve arcar”, acrescenta o documento.

Mas, quem quiser se arriscar, é livre para usar a moeda como forma de pagamento. Por causa do anúncio da Tesla, tanto a montadora quanto a Bitcoin entraram no radar dos investidores “peso pesados” de Wall Street. Depois que o CEO Elon Musk divulgou a possibilidade da transação, a criptomoeda valorizou em mais de 3,5%, chegando a valer US$ 56.320.

Via: Electrek