A Getnet, empresa de tecnologia do Santander especializada em meios de pagamento, está com inscrições abertas para seu processo seletivo exclusivo para mulheres na área de tecnologia. Denominado ‘Get.Talentosas’, o programa de recrutamento, seleção e formação de mulheres, busca estudantes ou profissionais, para atuarem nos escritórios de São Paulo (SP) e Porto Alegre (RS). 

As vagas oferecidas pelo programa são para Product Owner, Agile Master, Planejamento e Estratégia de TI e Segurança da Informação. No entanto, a Getnet mantém outras oportunidades para demais perfis de profissionais em seu site.

publicidade

Durante nove meses, as candidatas selecionadas passarão por um processo de imersão na cultura da empresa, com direito a treinamento em metodologia ágil, mentoria com gestores e plano individual de desenvolvimento.

Candidatas selecionadas terão direito a treinamento e mentoria com gestores. Foto: fizkes/Shutterstock

Segundo Rogério Said, vice-presidente de Pessoas, Gestão de Negócios e Cultura da Getnet, a iniciativa visa fortalecer a equidade de gênero na companhia, em todas as áreas. “Sabemos que o mercado de tecnologia e finanças ainda é predominado por homens e queremos mudar este quadro. Por isso, resolvemos promover um programa específico, inclusive honrando o compromisso que assumimos ao sermos signatários da ONU Mulheres”, diz o executivo.

Se interessou? As inscrições para o Get.Talentosas podem ser realizadas até 5 de maio pelo site do programa.

Líderes mulheres

Segundo recente pesquisa realizada pelo instituto FIA, as melhores empresas para trabalhar possuem mais mulheres em cargos de liderança. E mais, as companhias com mais mulheres CEOs possuem maior chance de contratar outras mulheres para cargos de liderança.

O inverso também é verdade: das companhias com mulheres CEOs, 42% possuem uma composição de outras mulheres em cargos de diretoria. Em cargos de gerência, o montante feminino é de 42% e para supervisão e coordenação, 44%.

Na comparação, das empresas que possuem homens na chefia, apenas 12% possuem mulheres na diretoria, 34% preenchem cargos de gerência e 38% são coordenadoras e supervisoras.