EnglishPortugueseSpanish

Os notebooks da Apple, principalmente os mais atuais, podem não ser uma opção viável ao usuário que investe em um Mac pensando em melhorar o seu desempenho trocando algumas peças no futuro. Alguns MacBooks, por exemplo, possuem vários componentes, como a memória e o armazenamento interno, integrados à placa mãe. Tendência que continua valendo nos produtos da empresa embarcados com o novo chip de processamento M1.

No entanto, para os entusiastas e corajosos de plantão, parece que há uma maneira de fazer upgrades, mesmo nos Macs que dispensaram os processadores da Intel em favor do chip da Apple. Como mostrou o site MacRumors, técnicos chineses encontraram uma forma de retirar os chips de RAM e o SSD para trocá-los por peças de maior capacidade.

publicidade

Com isso, é possível aumentar os 8 GB de RAM de um MacBook com M1 de entrada para 16 GB, bem como o SSD, que pode chegar até 1 TB frente aos 256 GB originais. A boa notícia é que o macOS, inclusive, reconhece esses upgrades como se fossem oficiais.

Procedimento arriscado

Ainda assim, vale uma ressalva: o processo é invasivo e arriscado, já que envolve a remoção dos chips, substituindo-os por componentes que não se encontram facilmente por aí. Aliás, além de difícil, essa prática pode invalidar a garantia oficial oferecida pela Apple.

Por fim, a descoberta mostra que a plataforma M1 pode ser mais flexível no futuro. Com isso, os próximos Macs podem adotar caminhos mais fáceis para o usuário manter sua máquina funcionando por mais tempo, algo que era mais simples nos portáteis mais antigos da Maçã.

Leia mais:

Apple bateu recorde de lucro

Relatório financeiro revela receita recorde da Apple. Imagem: Yasar Turanli/Shutterstock

No início do mês, a empresa de Tim Cook divulgou seu relatório financeiro referente ao primeiro trimestre de 2021. Somente neste período, a Apple arrecadou uma receita recorde de US$ 111,4 bilhões de dólares, cerca de R$ 626 bilhões em conversão direta.

Esse crescimento foi particularmente especial, já que representa um aumento de 21% se comparado aos dados do mesmo período do ano passado. Entre janeiro e março de 2020, a receita da Apple foi de US$ 91,82 bilhões (R$ 516 bilhões).

Via: MacRumors