EnglishPortugueseSpanish

Se uma xícara de café não é mais o suficiente para manter uma pessoa “acordada”, é possível que ela tenha desenvolvido tolerância à cafeína. Isso ocorre quando a bebida parece “parar de funcionar” para quem busca evitar o sono. De acordo com a nutricionista Anika Christ, essa condição deve ser motivo de preocupação.

O consumo de café por muito tempo constrói no corpo humano uma resistência à cafeína. Para Anika, “os efeitos estimulantes do composto se tornam menos perceptíveis e o corpo fica menos sensível a eles”. O primeiro sinal do problema aparece quando o café deixa de fornecer o mesmo aumento de energia como de costume. Outro indício é a leve dor de cabeça que a pessoa sente quando a cafeína começa a sair do organismo.

publicidade
Tolerância à cafeína - quando uma xícara de café não é suficiente para ter disposição
Tolerância à cafeína – quando uma xícara de café não é suficiente para ter disposição.
Crédito: Shutterstock

A substância funciona no corpo como algumas drogas opioides. Ela se liga a um receptor destinado a um neurotransmissor e interfere com mensagens entre o cérebro e o corpo. A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central e um antagonista do receptor de adenosina, neurotransmissor que causa sonolência e diminui a atividade do sistema nervoso.

Moléculas de cafeína têm estrutura quase idêntica à adenosina e interceptam os receptores destinados ao neurotransmissor. Elas enganam seus receptores e geram o efeito oposto: aumentam a atividade do sistema nervoso e fazem com que as glândulas suprarrenais produzam adrenalina. A cafeína também aumenta a sinalização de dopamina.

Leia mais:

O fato é que o café não se liga apenas aos receptores de adenosina. Ele também aciona o cérebro e isso aumenta a probabilidade de que o neurotransmissor vá para onde deveria ir, numa tentativa do órgão de manter o equilíbrio diante do consumo constante da substância.

A partir do momento que a quantidade ingerida parece não ser mais suficiente, a causa encontra-se no aumento de receptores de adenosina que precisam ser preenchidos. Neste caso, a mesma quantidade de cafeína já não afeta mais tão profundamente o indivíduo.

Diminua o consumo de café

Evitar a tolerância à cafeína é uma tarefa difícil e não se trata apenas de reduzir o consumo de café de uma só vez. É preciso que esse processo seja feito aos poucos. Vale ainda experimentar café descafeinado e procurar outras alternativas de bebidas, como o chá.

Para quem já se sente dependente, é importante saber que reduzir ou eliminar o consumo de cafeína pode resultar em sintomas de abstinência, como fadiga, mudanças de humor, dor de cabeça, tremor, falta de foco e nervosismo.

Fonte: CNet

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!