Estamos mais perto de provar que a existência dos mamíferos na América do Sul é bem mais antiga do que imaginávamos. O fóssil de um animal similar a um gambá foi descoberto por cientistas chilenos na região da Patagônia, e é provável que a criatura tenha vivido entre 72 a 74 milhões de anos atrás, durante o período Cretáceo Superior.

A equipe de pesquisa encontrou uma parte da mandíbula fossilizada da espécie próximo ao parque nacional Torres del Paine. O “achado” recebeu o nome de Orretherium tzen, uma amálgama de grego e uma língua indígena da região que significa “Besta de Cinco Dentes”.

publicidade

Leia também:

Os cientistas acreditam que a besta de cinco dentes chegou a coabitar com Magallanodon baikashkenke, outra criatura semelhante a um roedor. A existência do fóssil de gambá ajuda a montar o quebra-cabeça evolutivo do Gondwanatheria, um grupo de mamíferos primitivos que coexistiram com os dinossauros. 

Isso porque, até então, apenas vestígios de mamíferos foram encontrados na América do Sul. 

O coletivo de especialistas da Universidade do Chile, junto aos pesquisadores dos museus de História Natural e La Plata da Argentina e do Instituto Antártico do Chile, publicaram a descoberta do fóssil de gambá na revista Scientific Reports.

Segundo Sergio Soto, paleontólogo da Universidade do Chile, as descobertas poderão ser responsáveis por responder a perguntas que nunca haviam sido desvendadas sobre a existência dos dinossauros, mamíferos e outras espécies. “Está sendo revelado que há um enorme potencial, em termos de paleontologia, no extremo sul do Chile”, conta.  

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Via: Hindustan Times