O teste da Starship SN11, realizado pela SpaceX na manhã de 30 de março, foi marcado por uma densa neblina. Por causa dela, não foi possível ver a espaçonave decolando e não tivemos imagens de câmeras em solo, apenas das instaladas dentro do foguete. Nem sequer o momento da explosão da espaçonave durante a preparação para o pouso foi visível, com as câmeras em solo registrando ao máximo o intenso brilho laranja atrás da névoa. 

Mas algumas câmeras em solo, operadas pelos canais do YouTube Cosmic Perspective e Everyday Astronaut, registraram algo tão impressionante quanto a explosão: a chuva de destroços que aconteceu a seguir.

publicidade

O vídeo abaixo mostra peças dos mais variados tamanhos caindo do céu, algumas delas quase atingindo as câmeras, acompanhadas do som de metal retorcido. Microfones direcionais usados durante a gravação permitem que o espectador sinta as peças caindo “ao seu redor”. A partir dos 5 minutos há um replay em câmera lenta e vários ângulos.

Segundo Elon Musk, CEO da SpaceX, o acidente ocorreu devido a um “relativamente pequeno vazamento de metano que levou a um incêndio no motor nº 2 e ‘fritou’ parte do sistema de aviônica, causando um ‘início abrupto’ em uma turbobomba de metano ao religar os motores para o pouso”.

A explosão em pleno ar arremessou destroços a até 8 km do local de lançamento, em uma área pública para observação dos testes. “Isso será corrigido para ontem”, garantiu Musk.

Próximos passos do projeto Starship

Antes mesmo do acidente da última terça-feira a SpaceX havia decidido cancelar os protótipos SN12, SN13 e SN14 em favor do SN15, um novo design cuja construção está sendo concluída.

Leia mais:

“Ela tem centenas de melhorias de design na estrutura, aviônica, software e propulsores”, disse Musk. “Espero que uma dessas melhorias cubra esse problema (com a SN11). Se não, uma adaptação irá adicionar mais alguns dias ao processo”. 

Ilustração da SpaceX imaginando o lançamento de uma Starship "completa" montada sobre um foguete Falcon Super Heavy.
Ilustração da SpaceX imaginando o lançamento de uma Starship “completa” montada sobre um foguete Falcon Super Heavy. Imagem: SpaceX

A empresa tem o ambicioso objetivo de fazer um lançamento orbital, combinando uma Starship e um Super Heavy, durante o mês de julho. A próxima evolução no design será a SN20: “estas espaçonaves terão capacidade orbital com escudos térmicos e um sistema de separação de estágios”, disse Musk no Twitter.

“A probabilidade de sucesso na subida é alta. Entretanto, veículos baseados no SN20 provavelmente precisarão de várias tentativas de voo para sobreviver uma reentrada a Mach 25 e pousar intactos”, completou.