A 23ª edição da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe começa na próxima segunda-feira (12) e se estenderá até o dia 9 de julho. Segundo informativo divulgado pelo Ministério da Saúde, a ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, conta com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde e das Secretarias Municipais de Saúde. “Para o êxito da campanha, conforme a disponibilidade da vacina, estima-se o funcionamento de aproximadamente 50 mil postos de vacinação”, informa a pasta.

Ainda de acordo com o material de divulgação da campanha, a vacina é uma das medidas de prevenção mais importantes para proteger contra a Influenza, que é uma infecção respiratória aguda causada por diferentes vírus. Por meio da imunização, é possível reduzir a circulação viral na população, bem como suas complicações e óbitos, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco. “Neste contexto, a campanha de vacinação consiste em uma ação de interesse nacional, sendo os grupos prioritários atores sociais importantes no processo de prevenção e controle da doença”, diz o informe.

publicidade

Público-alvo

Serão vacinadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (mulheres em fase pós-parto), povos indígenas, trabalhadores da saúde, idosos com 60 anos ou mais, professores das escolas públicas e privadas, pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbanos e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade.

publicidade
Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade fazem parte do público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe. / Créditos: scyther5 – Istockphoto

Em relação às doenças crônicas e condições clínicas especiais, são consideradas parte desse grupo:

  • Diabetes
  • Obesidade
  • Doenças respiratórias crônicas, como asma, fibrose cística, rinite alérgica e etc…;
  • Doenças cardíacas crônicas, como hipertensão, insuficiência cardíaca, miocardite e etc…;
  • Doenças hepáticas crônicas, como as hepatites e cirrose, dentre outras;
  • Doenças neurológicas crônicas, como paralisia cerebral e esclerose múltipla;
  • Imunossupressão (pessoas com o sistema imunológico prejudicado por enfermidades ou medicamentos);
  • Indivíduos transplantados;
  • Portadores de trissomias, como síndrome de down, síndrome de Klinefelter, síndrome de Warkany e etc…
Entre as condições clínicas especiais inclusas como prioridade no calendário de vacinação da gripe está a obesidade / Suzanne Tucker – Shutterstock

Calendário de vacinação

publicidade

A partir do dia 12 de abril, o SUS vacinará crianças, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores de saúde. Em relação às crianças indígenas, o limite de idade é de até 9 anos. Idosos com 60 anos ou mais e professores serão vacinados a partir de 11 de maio. Já os demais prioritários, do dia 9 de junho a 9 de julho.

Leia também: 

publicidade

Para intensificar a imunização, cada etapa da campanha contará ainda com o “Dia D”: um sábado em que postos de saúde e outros locais, como shoppings e parques, aplicam a vacina da gripe para a população que estiver sendo beneficiada no momento. Quem determina as datas para esses sábados especiais são os municípios.

E o restante da população?

Pessoas fora dos grupos prioritários também devem se proteger, especialmente nesse momento de pandemia, considerando que, com o sistema de saúde sobrecarregado pela Covid-19, vacinar-se contra a gripe evita idas desnecessárias ao hospital.

Para isso, devem buscar a injeção em clínicas privadas ou aguardar doses remanescentes da campanha. Em anos anteriores, as vacinas que sobraram foram distribuídas para o resto da população. Por isso, é importante ficar atento aos noticiários.

Fonte: Ministério da Saúde

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!