As montadoras norte-americanas de carros elétricos acabaram de evitar uma dor de cabeça gigante! Segundo o jornal Financial Times, as fabricantes de baterias sul-coreanas LG e SK chegaram, enfim, a um acordo na batalha de propriedade intelectual que perdurava desde junho de 2019. Caso o conflito continuasse, poderia ter causado estragos nos planos da Ford e da Volkswagen (VW) – que tentam impedir a liderança da Tesla no mercado – na produção de veículos do tipo nos Estados Unidos (EUA).

O acordo foi confirmado entre as partes à mídia local, porém detalhes exatos não foram divulgados.

publicidade

Entenda o caso

Tanto a Ford quanto a Volkswagen temiam uma interrupção catastrófica na produção de baterias para seus carros elétricos desde o começo da disputa judicial entre a LG Chem e a SK Innovation, em 2019.

Volkswagen ID.4, SUV elétrico da montadora alemã. Imagem: Volkswagen/Divulgação
Volkswagen ID.4, SUV elétrico da montadora alemã. Imagem: Volkswagen/Divulgação

Isso ocorria por causa de um conflito entre as empresas sul-coreana. Segundo a gigante de tecnologia, a startup roubava propriedade intelectual, plagiando tecnologia na produção de suas baterias.

A situação se tornou extremamente delicada porque ambas as empresas estão se instalando nos EUA. Enquanto a LG Chem está construindo uma fábrica em Ohio, onde serão produzidas baterias para os carros elétricos da General Motors, a SK Innovation está fazendo uma estrutura na Geórgia, para produzir fontes de energia para o Ford Mustang Mach-E, além dos modelos elétricos da Volkswagen, como ID.4.

A LG e a GM, então, exigiram a interrupção imediata da obra da SK, enquanto a Ford e a Volkswagen solicitaram à Comissão Internacional de Comércio Americana que investigasse o caso e liberasse a construção da fábrica da startup no país. Curiosamente, os dois lados argumentavam sua posição “protegendo os investimentos na economia americana e criação de novos empregos”.

Ford Mustang Mach-E
Ford Mustang Mach-E. Imagem: betto rodrigues/Shutterstock

No processo, a qual o Financial Times teve acesso, a LG e a GM apontavam que a “concorrência desleal da SK Innovation reduziria a demanda por veículos elétricos da General Motors”, levando à queda na produção e demissões. Já a VW e a Ford garantiam que a interrupção da construção da fábrica na Geórgia poderia forçá-los a adiar o lançamento de seus veículos elétricos por um longo tempo, pois não poderiam encontrar outro fornecedor de baterias em breve. 

Em comunicado oficial no ano passado, a Volkswagen chamou a situação de “catastrófica”. Um porta-voz da Ford chegou a afirmar à Comissão que a decisão poderia provocar demissões em massa no setor e que as pessoas ficariam desempregadas em uma economia enfraquecida devido à pandemia de covid-19

Leia mais:

Fonte: Engadget e Financial Times

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!