O Brasil iniciou, na última segunda-feira (12), uma campanha nacional de imunização contra a Influenza. Atualmente, o país disponibiliza duas vacinas contra a gripe: a trivalente e a quadrivalente (tetravalente). Você sabe a diferença entre elas?

Assim como outros vírus, a gripe sofre mutações e os imunizantes precisam se adaptar. Todo ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) realiza um estudo para descobrir quais são as variantes que mais estão em circulação naquele momento, tanto para o Hemisfério Norte quanto para o Hemisfério Sul. É com base nessa pesquisa que o Ministério da Saúde determina quais mudanças devem ocorrer nas vacinas.

publicidade

Como dito anteriormente, o Brasil disponibiliza as vacinas trivalente e a quadrivalente. A primeira é produzida pelo Instituto Butantan e distribuída pela rede pública, enquanto a segunda é importada e aplicada na rede privada. Ao Olhar Digital, a Dra. Flávia Bravo, diretora da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), explicou por que os imunizante não são distribuídos nas duas redes (pública e privada).

“Acontece que no mundo quase não se produz mais a trivalente para gripe, portanto, como a rede particular utiliza a vacina importada, acaba sendo a quadrivalente. Aqui no Brasil, o Butantan ainda faz a trivalente, e toda a rede pública usa ela”, disse.

Afinal, qual a melhor vacina contra a gripe?

Basicamente, a trivalente protege contra três tipos de cepas da gripe, enquanto a quadrivalente protege contra quatro tipos.

Leia mais:

“A vacina trivalente combate duas cepas da gripe do vírus A e uma do vírus B, enquanto a tetravalente combate duas do B também” destacou a Dra. Flávia. Segundo a especialista, essa evolução de trivalente para quadrivalente ocorre à medida que o vírus sofre modificações. As vacinas, inclusive, já foram monovalentes e bivalentes.

Antes da pandemia, ainda de acordo com a diretora, o Butantan tinha um plano de começar a produzir a quadrivalente em 2021, mas precisaram adiá-lo para que o laboratório pudesse focar na vacina contra a Covid-19.

Mesmo que a trivalente não proteja contra quatro cepas, como sua sucessora, a Dra. Flávia indicou sua aplicação, já que ela protege a pessoa contra o vírus A, o que mais circula no Brasil. “Às vezes a gente identifica uma variante do B, às vezes uma variante dos dois, mas o A sempre está presente, então é muito importante tomar a trivalente”. Ou seja, as duas vacinas são eficazes contra a Influenza.

Com o mundo enfrentando a pandemia do novo coronavírus, a imunização contra a gripe ganhou uma importância ainda maior. “A vacina da gripe fica mais importante agora, já que os sintomas e a evolução do quadro são muito parecidos com os da Covid-19. Se você tomar o imunizante contra a Influenza, além de facilitar o diagnóstico, também ajudará a desafogar o sistema de saúde com a diminuição de incidência de pacientes com gripe”, completou a diretora da SBIm.

A especialista ainda ressaltou que a gripe, ao contrário da Covid-19, tem uma incidência grande em crianças. “A temporada de gripe ao redor do mundo começa primeiro atacando as crianças. São elas que transmitem e levam para casa. É diferente do que acontece com a Covid-19, em que os casos de contaminação de crianças são proporcionalmente menores que os casos de adultos contaminados”, finalizou.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!