EnglishPortugueseSpanish

Greve na LG: Funcionários da fábrica de Taubaté fazem paralização de protesto contra fechamento da unidade

Redação 12/04/2021 22h40, atualizada em 12/04/2021 23h02

Funcionários da fábrica da LG em Taubaté, no interior paulista, entraram em greve após a recusa de uma oferta de indenização feita pela fabricante sul-coreana, depois do anúncio do fim da produção no local.

O fechamento da fábrica, confirmado pela empresa na última semana, deve gerar cerca de 700 demissões.

publicidade

O fim das atividades da fábrica de Taubaté é consequência direta da saída global da LG do mercado de smartphones, que deve acontecer ainda este ano.

No Brasil, a notícia resultou no fechamento da estrutura de Taubaté e a transferência da linha de produção de notebooks para Manaus, no Amazonas.

Os trabalhadores afirmaram que a paralisação deve seguir por tempo indeterminado.

A indenização sugerida pela fabricante que desagradou os funcionários prevê pagamentos escalonados de acordo com o tempo de serviço. Os valores vão de 8 mil reais para quem foi admitido a partir de 1º de janeiro de 2020 a 35mil, 804 reais para funcionários com 19 anos de casa ou mais.

A LG foi procurada pela equipe do Olhar Digital para comentar sobre a greve, e o plano de ação no Brasil frente ao fechamento da divisão global de smartphones, mas não se manifestou até o momento.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!