Categoras: Pro

TIM é condenada a pagar R$ 50 milhões por prática abusiva e danos morais

Nesta segunda-feira (12), a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou a operadora TIM por prática abusiva e aplicou uma multa de R$ 50 milhões por danos morais coletivos.

A operadora foi acusada pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) de interrupção automática de chamadas telefônicas de assinantes do plano TIM Infinity.

A ação civil pública ajuizada pelo MPDFT considerou não apenas as constantes quedas nas ligações, mas também a má qualidade do sinal.

TIM é multada em R$ 50 milhões por práticas abusivas e danos morais coletivos. Crédito: Shutterstock

Práticas abusivas

De acordo com o MPDFT, a TIM ofereceu aos clientes do Plano Infinity a promessa de ligações com duração ilimitada mediante cobrança apenas no primeiro minuto.

Segundo um inquérito civil público instaurado pela Promotoria de Defesa do Consumidor (Prodecon) e diversos procedimentos fiscalizatórios realizados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a TIM descumpriu sistematicamente a oferta.

Na prática, os usuários do Plano Infinity eram obrigados a refazer as ligações, depois desse primeiro minuto, porque a empresa interrompia o serviço – o que, consequentemente, obrigava o cliente a arcar novamente com o custo do primeiro minuto da ligação.

Segundo o ministro Villas Bôas Cueva, relator do caso ao STJ, é evidente o dano causado aos consumidores.

“Não há dúvidas quanto aos elementos que fundamentam o pedido formulado pelo MPDFT na ação civil pública proposta, tendo sido cabalmente provada a deficiência na prestação do serviço, os danos suportados pela coletividade de consumidores e, ainda, o nexo de causalidade entre os danos apurados e a conduta comissiva da ré, tudo tendo como base a publicidade enganosa por ela divulgada”, disse o ministro, em seu voto.

Veja também!

Para o relator, a impossibilidade de medir a extensão do prejuízo material causado individualmente a cada consumidor lesado não impede conseguir fixar um valor indenizatório, se considerados parâmetros técnicos e proporcionais. Por isso, a multa fixada em R$ 50 milhões.

Inconsistência

Essa não é a primeira vez que a TIM é multada por oferecer um serviço que está em desacordo com o que efetivamente foi entregue.

Em 2019, a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, aplicou a multa no valor de R$ 9,7 milhões à empresa. À época, a telco teria cobrado por produtos e serviços não contratados pelos clientes.

Via: STJ

Esta post foi modificado pela última vez em 14 de abril de 2021 16:06

Compartilhar
Deixe seu comentário
Publicado por
Tissiane Vicentin