EnglishPortugueseSpanish

A Blue Origin, empresa aeroespacial criada por Jeff Bezos, fundador da Amazon, completou nesta quarta-feira (14) seu 15º voo de testes do foguete New Shepard, desta vez simulando vários procedimentos de uma missão tripulada. O teste aconteceu na base da empresa, Launch Site One, no oeste do Texas, nos EUA.

Dois funcionários da companhia adentraram a cápsula para praticar os procedimentos que os futuros astronautas seguirão antes de um lançamento. Eles deixaram a cápsula antes da decolagem, e retornaram após o pouso para praticar os procedimentos pós-pouso.

publicidade

A Blue Origin planeja usar o New Shepard para voos turísticos suborbitais, porém ainda não há uma data para o início da operação comercial. Ao mesmo tempo, a empresa desenvolve um foguete mais poderoso, o New Glenn, que será usado em missões orbitais. Quando pronto, o New Glenn será capaz de colocar uma carga de 45 toneladas em órbita baixa ao redor da Terra, o dobro das 22 toneladas de um Falcon 9 “Full Thrust”, mas menos que as 65 toneladas de um Falcon Heavy.

A missão desta quarta-feira, NS-15, foi o primeiro voo de um novo modelo do New Shepard chamado NS-4 e batizado de RSS First Step (RSS “Primeiro Passo”), sendo RSS a sigla para Reusable Space Ship (Espaçonave Reutilizável). Entre as novidades estão controle acústico e de temperatura na cápsula, telas com informações e um sistema de intercomunicação.

Tanto o foguete quanto a cápsula são reutilizáveis: eles se separam ainda na subida, antes de atingir a altitude máxima do voo, e retornam separadamente. O foguete pousa verticalmente, como acontece com os Falcon 9 da SpaceX, e a cápsula pousa com a ajuda de três paraquedas e retrofoguetes que disparam a poucos metros do solo para amortecer o impacto.

O voo da NS-15 durou 10 minutos, entre a decolagem do foguete e o pouso da cápsula. Durante o voo, esta chegou a uma altitude de cerca de 106 km acima do nível do solo. Isto a coloca acima da “linha Karmán”, a fronteira do espaço, definida internacionalmente como 100 km de altitude. Isso tornará os futuros tripulantes da New Shepard astronautas reconhecidos de acordo com as normas internacionais.

Leia mais:

Mas vale lembrar que os voos da New Shepard são suborbitais. Ou seja, ao contrário de Yuri Gagarin, ou da cápsula Crew Dragon da SpaceX, a cápsula da Blue Origin não entra em órbita ao redor do planeta. Ela segue uma trajetória parabólica, atingindo uma altitude máxima e iniciando a descida logo em seguida. Ainda assim, por alguns minutos, os tripulantes terão a sensação de estar em gravidade zero.

Além do teste dos procedimentos para uma missão tripulada, o voo desta quarta-feira levou um boneco de testes chamado “Mannequin Skywalker” e 25 mil cartões postais enviados por estudantes para o “Clube para o Futuro” operado pela Blue Origin. Após o voo, eles são retornados aos remetentes.

O manequim e um assento da cápsula New Shepard serão doados ao U.S. Space and Rocket Center em Hunstville, no Alabama. “Com o manequim e um assento, acredito que poderemos contar uma ótima história sobre o caminho para os voos tripulados”, disse Patrick Zeitouni, comentarista dos lançamentos da Blue Origin.

Fonte: Space.com