Ciência e Espaço

Starliner: primeira missão tripulada da Boeing pode ficar para 2022

16/04/21 11h25

A Boeing acumula atrasos no desenvolvimento da Starliner, sua espaçonave para missões tripuladas à órbita terrestre e à Estação Espacial Internacional (ISS). Após o fracasso de um primeiro teste não tripulado, em 2019, o lançamento de uma missão tripulada foi constantemente adiado. E embora ainda esteja oficialmente previsto para setembro deste ano, especialistas estimam que ele só ocorrerá em 2022.

O motivo é no mínimo curioso: faltam “vagas” para “estacionar” a cápsula na ISS. A estação tem duas docas equipadas com um “adaptador internacional” de atracação, usado tanto pela Crew Dragon da SpaceX quando pela Starliner. Para a Nasa, a prioridade no uso destas docas é das missões tripuladas, seguidas de missões não tripuladas para entrega de suprimentos.

A cápsula Boeing CST-100 Starliner. Imagem: Boeing

A missão Crew-2 da SpaceX, carregando quatro astronautas, deve decolar no próximo dia 22 de abril e ocupará uma destas docas por seis meses. Em três de junho, a empresa deve enviar uma espaçonave de carga (CRS-22 Dragon) que irá ocupar a outra doca até pelo menos 20 de julho, quando retornará à Terra.

Com isso, haverá um período de cerca de um mês com uma doca livre para um teste da Starliner. Mas mesmo que ele aconteça durante este período, não poderá ser uma missão tripulada. Antes, a Boeing deve repetir e completar a missão não tripulada que falhou em 2019.

Leia mais:

Após a missão, será necessário completar uma análise dos dados coletados, algo que segundo o site Ars Technica levaria seis meses, no mínimo. Neste caso, um voo tripulado não poderia ocorrer antes de janeiro de 2022.

Mas segundo um oficial da Nasa, a Starliner não irá voar “até que o hardware esteja pronto e faça sentido voar de acordo com as necessidades da estação”. E não há pressa para isso já que a agência espacial tem uma espaçonave, a Crew Dragon, capaz de atender à necessidade de rotação semestral da tripulação.

O Ars Technica afirma que uma fonte com conhecimento do cronograma de operação da ISS estima que o melhor momento para um teste tripulado seria em fevereiro de 2022.

Se completado com sucesso, a Boeing poderia fazer sua primeira missão “operacional” à ISS durante abril ou setembro, dois anos após o histórico voo da Demo-2 da concorrente SpaceX.

Fonte: Ars Technica

Deixe sua opinião
Tags