Além de uma estação espacial, a China está desenvolvendo também seu próprio telescópio espacial para observação do universo. Chamado de CSST (China Space Station Telescope, Telescópio da Estação Espacial Chinesa) e apelidado de  “Xuntian” (algo como “sonde os céus”), o equipamento pode ser lançado em 2024.

O telescópio chinês será equipado com uma lente de 2 metros de diâmetro, comparável à do Hubble. A resolução também será similar, mas o campo de visão será 300 vezes maior. Isso permitirá ao telescópio observar 40% do céu em um período de 10 anos, usando uma câmera com um sensor de 2,5 bilhões de pixels.

publicidade

Leia mais:

“O telescópio será instalado em um módulo óptico que pode voar independentemente em órbita para uma maior eficiência”, disse Zhou Jianping, projetista-chefe do programa de voos espaciais tripulados da China, à China Central Television em março.

“Faremos com que ele voe aproximadamente em órbita comum com a futura estação espacial. Isso nos ajudará a reabastecer o telescópio e a fazer atualizações em órbita”, acrescentou Jianping. A facilidade de manutenção é algo crucial: em seus 31 anos de operação, o Hubble exigiu múltiplos reparos e upgrades.

Ilustração do telescópio espacial chinês CSST em órbita. Imagem: CNSA
Ilustração do CSST em órbita. Imagem: CNSA

Segundo a agência de notícias Xinhua, quatro centros de pesquisa astronômica estão sendo construídos na China para trabalhar com os dados produzidos pelo telescópio, que fará observações em luz visível e ultravioleta. 

Entre os objetivos astronômicos do CSST estão a investigação das propriedades da energia e matéria escuras, da estrutura em larga escala do cosmos e a formação e evolução galácticas, segundo um artigo publicado em 2019 por membros dos Observatórios Astronômicos Nacionais chineses. O telescópio também deve colaborar na detecção e pesquisa de objetos trans-netunianos (TNOs) e asteroides próximos da Terra (NEOs, Near Earth Objects).

Atualmente a China se prepara para o lançamento do módulo central de sua estação espacial, chamado Tianhe (“Harmonia Celeste”), que deve acontecer usando um foguete Longa Marcha 5 ainda neste mês de abril.

Fonte: Space.com