EnglishPortugueseSpanish

E parece que o que imaginávamos sobre o temível e sozinho Tiranossauro Rex do Jurassic Park não é bem o que pensamos. De acordo com um estudo, os conhecidos tiranossauros que governaram no período cretáceo não eram tão solitários como os do filme. Ao que tudo indica, os predadores carnívoros eram animais sociáveis, muito parecidos com os lobos.

A descoberta foi feita por uma equipe de cientistas que se basearam em um sítio de osso fóssil único dentro do Monumento Nacional Grand Staircase-Escalante, em Utah, nos Estados Unidos, onde continham restos de vários dinossauros da mesma espécie.

publicidade

De acordo com Celina Suarez, professora associada de geociências da Universidade de Arkansas, a descoberta dos ossos todos juntos é uma importante chave para a suspeita do grupo.

“Isso apoia nossa hipótese de que esses tiranossauros morreram neste local e foram fossilizados juntos; todos morreram juntos, e essa informação é a chave para nossa interpretação de que os animais provavelmente eram gregários em seu comportamento”, disse a cientista.

Tiranossauro. Imagem: Shutterstock
Tiranossauros tinham comportamento social parecido com o de lobos. Imagem: Shutterstock

Segundo os estudiosos, que inclui cientistas do US Bureau of Land Management, do Denver Museum of Nature and Science, do Colby College of Maine e da James Cook University, na Austrália, o local onde os fósseis foram encontrados, apelidado de “Pedreira de arco-íris e unicórnios”, é raro e superou as expectativas.

“Localidades [como Rainbows and Unicorns Quarry] que produzem percepções sobre o possível comportamento de animais extintos são especialmente raras e difíceis de interpretar”, disse o especialista em tiranossauros Philip Currie em um comunicado à imprensa. 

“As técnicas tradicionais de escavação, complementadas pela análise de elementos de terras raras, isótopos estáveis e concentrações de carvão, mostram de forma convincente um evento de morte síncrona no local de Rainbows de quatro ou cinco tiranossaurídeos. Sem dúvida, esse grupo morreu junto, o que contribui para um crescente corpo de evidências que os tiranossaurídeos eram capazes de interagir como matilhas gregárias”, completou Currie.

Leia mais!

O especialista Philip Currie foi o primeiro cientista a formular a ideia de que os tiranossauros eram sociáveis com estratégias de caça complexas. A hipótese surgiu há mais de 20 anos quando foram encontrados mais de 12 animais em um único local em Alberta, no Canadá.

Cientistas debatem há muito tempo sobre o comportamento dos dinossauros, muitos são céticos quanto à capacidade intelectual da espécie se organizar dentro de um sistema complexo e, por isso, não acreditam ou aceitam qualquer evidência a respeito do comportamento social dos gigantes pré-históricos.

O local da pedreira Rainbows and Unicorns no Grand Staircase-Escalante National Monument foi encontrado em 2014, pelo paleontólogo Alan Titus, do BLM, e é o primeiro local de morte em massa de tiranossauros encontrado no sul dos Estados Unidos.

Métodos e futuro das pesquisas

À medida que as escavações avançam, a equipe chega a maiores conclusões sobre a história do local e causa morte dos tiranossauros que, segundo os cientistas, devido “os ossos parecer terem sido exumados e reenterrados pela ação de um rio”, concluem que os animais morreram juntos durante uma inundação sazonal.

“Usamos uma abordagem verdadeiramente multidisciplinar (evidências físicas e químicas) para juntar a história do local, com o resultado final sendo que os tiranossauros morreram juntos”, explica Suarez.

Através de análises de isótopos estáveis ​​de carbono e oxigênio e concentrações de elementos de terras raras nos ossos e nas rochas, o grupo conseguiu definir um tipo de impressão digital química do local, determinando que os restos achados no local não se tratavam do resultado de uma assembleia de atrito de fósseis ou mera coincidência.

“Nenhuma das evidências físicas sugeriu conclusivamente que esses organismos foram fossilizados juntos, então recorremos à geoquímica para ver se isso poderia nos ajudar. A semelhança dos padrões dos elementos de terras raras é altamente sugestiva de que esses organismos morreram e foram fossilizados juntos”, disse Suarez.

O estudo na pedreira acontece desde o seu descobrimento em 2014. Devido o tamanho do local, o volume e variedade de ossos encontrados a escavação provavelmente continuará por um longo período. Além de tiranossauros, as escavações renderam sete espécies de tartarugas, vários peixes e espécies de raia, dois outros tipos de dinossauros e um esqueleto quase completo de um crocodilo Deinosuchus juvenil  com 3,6 metros de comprimento.

Para pesquisas futuras, a equipe pretende incluir novos oligoelementos adicionais e análise isotópica dos ossos do tiranossauro para determinar com maior de certeza o mistério do comportamento social da espécie.

Fonte: PHYS.ORG

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!