Jovens saudáveis ​​que tiveram Covid-19 na Inglaterra foram selecionados para participar de um ensaio que os colocará novamente em contato com o vírus pandêmico. De acordo com pesquisadores da Universidade de Oxford, responsáveis pelo projeto, o objetivo do procedimento é averiguar como o sistema imunológico se comporta durante uma segunda infecção, para planejar melhores tratamentos e vacinas.

Composto por duas fases, o estudo terá início já em abril, com a participação de 64 voluntários. Essas pessoas, que devem ter entre 18 e 30 anos, serão expostas à cepa original do coronavírus responsável pela Covid-19 – aquela que apareceu na China, em 2019.

publicidade

Nessa etapa, os participantes passarão 17 dias em quarentena em um hospital, um “ambiente seguro e controlado”, enquanto a equipe médica monitora sua saúde por meio de vários exames, como varreduras de pulmão, por exemplo.

Covid-19
Universidade de Oxford vai realizar estudo de desafio humano em voluntários para reinfecção do coronavírus . / Créditos: TheHoward – Shutterstock

Os indivíduos receberão doses virais mínimas e graduais, para que os cientistas possam identificar qual a quantidade necessária para reinfectar uma pessoa e como seu sistema imunológico reage. Após detectar que pelo menos 50% dos participantes tenham sido contaminados, terá sido definida, então, a dosagem padrão.

Posteriormente, terá início a segunda etapa do estudo, prevista para daqui a dois meses, quando estiver começando o verão europeu. Nesse momento, com a dose padrão estabelecida, outro grupo de voluntários será submetido ao vírus. Então, será avaliada a resposta imunológica a essa exposição, assim como o nível viral e os sintomas dos que se reinfectarem com Covid-19.

Aqueles que desenvolverem sintomas receberão um tratamento com anticorpos monoclonais, para ajudá-los a combater a infecção. Os pacientes terão alta somente quando não forem mais contagiosos.

Leia mais:

Estudo de desafio humano

Esse tipo ousado de experimento é chamado “estudo de desafio humano”. A Inglaterra já realizou outro teste semelhante, em fevereiro. A diferença é que, naquela ocasião, o objetivo era contaminar os participantes pela primeira vez.

Segundo especialistas em imunologia, esses testes são uma ferramenta importante para os cientistas porque permitem um traçado mais preciso sobre o sistema imunológico. Isso pode ajudar a avaliar até que ponto os recuperados estão protegidos contra um segundo episódio de Covid-19.

De acordo com a Universidade de Oxford, a fundação Wellcome Trust é a patrocinadora da pesquisa, e cada voluntário receberá em torno de £ 5 mil (cerca de 38,6 mil reais, na cotação de hoje) para participar do programa.

Fontes: BBC / DW