A cerimônia de premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Academy of Motion Picture Arts and Sciences, em inglês) dos Estados Unidos – ou Oscar, para os íntimos – será, no mínimo, atípica. O evento, que acontece neste domingo (25) no tradicional Dolby Theatre e, simultaneamente, em outro local, o Los Angeles Union Station, como uma medida para atender aos protocolos impostos pela pandemia de Covid-19.

As entrevistas com os artistas no tapete vermelho estão previstas para começar às 20h (horário de Brasília), com a cerimônia em si começando a partir das 22h. Pelo terceiro ano, o Oscar não terá um apresentador principal, e as atrações serão apresentadas por um grupo de artistas premiados, que inclui Angela Bassett, Halle Berry, Bong Joon Ho, Laura Dern, Harrison Ford, Regina King, Joaquin Phoenix, Brad Pitt, Reese Witherspoon, Renée Zellweger e Zendaya.

publicidade

Leia também:

Para que a cerimônia de entrega dos prêmios pudesse Ser feita em caráter presencial, a Academia classificou atores, atrizes e seus respectivos acompanhantes como “trabalhadores essenciais”. Todos os presentes à cerimônia tiveram que apresentar pelo menos três testes (PCR) negativos de infecção pelo novo coronavírus com uma semana antes do evento.

Onde assistir o Oscar 2021?

No Brasil, a cerimônia completa – incluindo o tapete vermelho – será transmitida pelo canal por assinatura TNT, a partir das 20h. Assinantes também poderão acompanhar o Oscar pelo aplicativo de streaming TNT Go ou pelo site. Na TV aberta, a premiação será transmitida pela Globo, mas só a partir das 0h30, depois do Big Brother Brasil 21.

Outra opção é acompanhar as redes sociais oficiais e o canal do Oscar no YouTube. Os vencedores de cada categoria são anunciados lá, e a equipe da Academia sempre posta trechos curtos da transmissão, na medida em que vão acontecendo.

Quem são os favoritos do Oscar 2021?

Esta será a 93ª edição do Oscar, e 56 produções concorrem em 23 categorias. O filme com mais indicações (nove ao todo) é ‘Mank’, produzido pela Netflix e dirigido por David Fincher – mas ele não deve levar muitas estatuetas. O favorito no bolão de Hollywood é ‘Nomadland’, que levou o Globo de Ouro, o Bafta e o Screen Actors Guild Awards. É esperado que a produção vença a categoria Melhor Filme e sua diretora, Chloé Zhao, se torne a segunda mulher a conquistar o prêmio na categoria.

Frances McDormand em ‘Nomadland’. Imagem: Walt Disney Company/Divulgação

Sua protagonista, Frances McDormand (que levou o Oscar em 1997, por ‘Fargo’, e em 2018 por ‘Três Anúncios para um Crime’), também encabeça a lista de Melhor Atriz, mas o páreo promete ser duríssimo. Outra veterana vencedora, Viola Davis, (em 2017 como Atriz Coadjuvante por ‘Um Limite Entre Nós’) vem fortíssima graças ao seu trabalho em ‘A Voz Suprema do Blues’. E nas últimas semanas, Carey Mulligan (‘Bela Vingança’) e Vanessa Kirby, (‘Pieces of a Woman’) vem sendo cada vez mais faladas. Ou seja, tudo em aberto.

Entre os candidatos a Melhor Ator, a situação é a seguinte: se o saudoso Chadwick Boseman (‘A Voz Suprema do Blues’) vencer, é justíssimo para ele e injusto com Anthony Hopkins (‘Meu Pai’). Se der Hopkins, é justíssimo para ele e injusto com Boseman. Eis o dilema dos votantes. Riz Ahmed (‘O Som do Silêncio’) e Steven Yeun (‘Minari’) são dos ótimos jovens atores, e suas indicações são um prêmio em si. Gary Oldman (‘Mank’) é sempre maravilhoso, ganhando ou não.

Chadwick Boseman em ‘A Voz Suprema do Blues’. Imagem: David Lee/Netflix

Se vencer, Chadwick Boseman entra para um grupo tão seleto quanto triste: o de artistas premiados com o Oscar após seu falecimento. Morto em agosto do ano passado vítima de um câncer no cólon, recebeu só agora sua primeira indicação. Em 93 anos de Academia, foram 79 indicados somando todas as categorias, mas apenas sete atores e atrizes antes dele receberam indicações, incluindo os vencedores Peter Finch e Heath Ledger.

Colega de Boseman em ‘Pantera Negra’, Daniel Kaluuya é o favorito ao troféu de Melhor Ator Coadjuvante, por ‘Judas e o Messias Negro’. Em uma situação curiosa, seu coprotagonista, LaKeith Stanfield, concorre na mesma categoria. Isso acontece porque os membros votantes da Academia são livres para escolher a categoria para cada indicado. Só atores e atrizes votam, e eles decidem quem é principal e quem é coadjuvante não pelo tempo de tela, mas pela qualidade da atuação.

Entre as mulheres, Yuh-Jung Youn (‘Minari’) já levou o Bafta e o SAG award. Mas a atriz sul-coreana está muito bem acompanhada na sua categoria, e concorre com ninguém menos do que Glenn Close (‘Era uma Vez um Sonho’), Olivia Colman (‘Meu Pai’), Amanda Seyfried (‘Mank’) e a novata Maria Bakalova (‘Borat: Fita de Cinema Seguinte’).

Em sua estreia como diretora, Emerald Fennell concorre com Chloé Zhao como Melhor Direção, mas deve mesmo levar para casa o Oscar de Melhor Roteiro Original por seu trabalho em ‘Bela Vingança’. Em Roteiro Adaptado, ‘Nomadland’ e ‘Meu Pai’ vêm dividindo as premiações do início do ano, e vão disputar palmo a palmo no domingo.