Um alarme falso assustou os quatro astronautas que seguiram para a Estação Espacial Internacional (ISS) na última sexta-feira (23), lançados pela Nasa e SpaceX. Quando chegaram à órbita da Terra, a tripulação da missão Crew-2 foi informada que deveria recolocar os trajes de voo por causa de uma possível colisão com lixo espacial. Nesta segunda-feira (26), foi constatado que realmente foi só um susto.

A tenente-coronel Erin Dick, porta-voz do Comando Espacial dos Estados Unidos, havia informado que um objeto chegou perto da cápsula da SpaceX. “Contudo, nós rapidamente nos demos conta de que foi um erro e que nunca houve uma ameaça de colisão porque não havia nenhum objeto em risco de bater na cápsula”, disse, em um email ao site Phys.org.

publicidade

Leia mais:

O Comando Espacial dos Estados Unidos está revisando o que causou o alarme falso para entender o que de fato aconteceu, já que os astronautas costumam saber com antecedência se há algum perigo em potencial. Com as informações, a tripulação pode desviar, se necessário.

Mas a situação da última sexta foi bastante atípica, já que aconteceu poucas horas após o lançamento. O 18º Esquadrão de Controle Espacial do Comando Espacial imediatamente avisou à SpaceX e à Nasa, que notificaram os astronautas. Os integrantes da Crew-2 colocaram os trajes e capacetes, com o visor no lugar. Tudo isso ao vivo na Nasa TV.

A tenente-coronel Erin Dick acrescentou que mais informações sobre o caso devem ser disponibilizadas ainda nessa semana. Já o porta-voz da Nasa, Kelly Humphries, tranquilizou, afirmando que tanto os astronautas norte-americanos Shane Kimbrough e Megan McArthur, como o japonês Akihiko Hoshide e o francês Thomas Pesquet haviam treinado para esse tipo de ocorrência.

“Claro, estamos felizes em saber que nunca houve uma ameaça, mas também estamos aliviados que os procedimentos aconteceram corretamente e a tripulação estaria preparada caso a ameaça fosse real”, destacou Humphries.

Os integrantes da Crew-2 se juntaram aos astronautas já presentes na ISS. Imagem: NASA/Divulgação

O foguete Falcon 9 B1061 decolou na manhã de sexta, levando a cápsula Endeavour, às 6h49 (horário de Brasília), saindo do Centro Espacial Kennedy, na Flórida. A Endeavour levou 23 horas até se acoplar à ISS, às 6h09 do sábado (24), e os astronautas tiraram os trajes de voo para realizar as verificações em busca de eventuais vazamentos de ar na conexão com a estação, antes de equalizar a pressão e abrir a escotilha, o que aconteceu às 8h15.

Shane Kimbrough e Megan McArthur, da Nasa, Akihiko Hoshide, da Agência Espacial Japonesa (Jaxa), e Thomas Pesquet, da Agência Espacial Europeia (ESA) se juntaram a Shannon Walker, Michael Hopkins, Victor Glover e Mark Vande Hei (Nasa), Soichi Noguchi (Jaxa) e os cosmonautas Oleg Novitskiy e Pyotr Dubrov (Roscosmos). Esses últimos integram a Crew-1 e voltam à Terra na quarta-feira (28).

Juntos, os onze astronautas formam a Expedição 65. Os membros da Crew-2 vão ficar no espaço até o mês de outubro deste ano. Nesse período, eles vão testar m dispositivo de ultrassom portátil e farão estudos relacionados a engenharia de tecidos e à saúde dos ossos, músculo cardíaco e fígado. Eles serão substituídos pela Crew-3, que decola no dia 23 de outubro.