A Microsoft anunciou os resultados referentes ao terceiro trimestre fiscal da empresa. O período trouxe um balanço positivo: a receita cresceu 19%, alcançando um montante total de US$ 41,7 bilhões, ao passo que a receita líquida fechou em US$ 15,5 bilhões – aumento de 44%. Grande parte do resultado foi devido ao forte crescimento do Xbox e serviços relacionados à nuvem.

Além disso, apesar da escassez de chips ter afetado globalmente a produção de diversos dispositivos e empresas, a venda de computadores está em crescimento constante, muito por conta da adoção do trabalho remoto em massa.

publicidade
Imagem mostra o logotipo da Microsoft na fachada de uma das lojas da empresa. Créditos: Jonathan Weiss/Shutterstock
Créditos: Jonathan Weiss/Shutterstock

A receita do segmento de OEM (do inglês Original Equipment Manufacturer, ou Fabricante de Equipamento Original) do Windows 10 registrou um aumento de 10%, em resposta à crescente demanda de computadores.

Vale dizer que produtos OEM são fabricados para empresas revenderem, ou seja, não são destinados, em primeira instância, ao consumidor final.

Durante a apresentação dos resultados, Satya Nadella, CEO da Microsoft, afirmou que, atualmente, existem mais de 1,3 bilhão de dispositivos Windows 10 ativos.

Em se tratando de Surface, a Microsoft registrou US$ 1,5 bilhão de receita com a venda dos dispositivos.

Veja também!

O equipamento já havia batido um recorde no trimestre anterior de US$ 2 bilhões em receita e, apesar de parecer uma retração quando comparado um período com o outro, vale lembrar que o montante registrado para o terceiro trimestre ainda é 12% na análise ano a ano.

Divisão de games

A receita dos consoles Xbox Series X e Series S também registrou um aumento considerável, puxando a receita da divisão de hardware da empresa como um todo, que chegou a crescer 232%.

A receita de conteúdo e serviços do Xbox também aumentou 34% na comparação com o mesmo período no ano passado, chegando a um total de US$ 739 milhões.

Imagem mostra os dois consoles de videogame da Microsoft, o Xbox Series E e o Xbox Series X, um ao lado do outro, acompanhados de seus respectivos controles.
A venda dos consoles Xbox Series X e Xbox Series S foi grande responsável pelos números positivos da divisão de hardware da Microsoft. Créditos: ALDECA studio/Shutterstock

Alguns dos principais responsáveis pelo resultado foram: vendas de jogos originais, vendas com títulos terceiros, e assinaturas de Xbox Game Pass, que bateu a marca de 18 milhões de assinantes no último trimestre.

Nuvem

A forte corrida para a digitalização de negócios, acelerada pela pandemia, contribuiu com a receita positiva para o segmento de cloud da Microsoft.

A receita comercial do Office e de serviços em nuvem cresceu 14% no trimestre fiscal.

A suite de produtividade Office 365 também registrou aumento de 22%. Destaque para o uso do Microsoft Teams, que bateu a marca de 145 milhões de usuários ativos diários e cerca de 300 milhões de licenças pagas.

A receita de produtos de consumo do Office e serviços em nuvem para consumidores também teve crescimento de 5% neste trimestre, graças à receita de assinatura do Microsoft 365 Consumer. No total, o número de assinantes chegou em 50,2 milhões – aumento de 27%.

Ainda na divisão de nuvem, os produtos que a empresa chama de Nuvem Inteligente, que englobam servidores e Azure, chegaram ao montante de US$ 15,1 bilhões no trimestre – ou 36% do resultado total do segmento.

A divisão de Produtividade e Processos de Negócios, que engloba LinkedIn e Office, contribuíram com US$ 13,6 bilhões do resultado, ou 33%.

Via: The Verge.