EnglishPortugueseSpanish

Cientistas da Academia Polonesa de Ciências encontraram em Tebas, no Egito, a primeira e única múmia grávida do mundo. De acordo com análises, a mulher foi embalsamada com 28 semanas de gravidez e tinha aproximadamente entre 20 e 30 anos. A descoberta foi feita como parte do “Projeto Múmia de Varsóvia” e publicada na revista científica Journal of Archaeological Science.

“Não há outro corpo antigo tão bem preservado de uma mulher grávida”, afirmou o autor principal do estudo, Dr. Wojciech Ejsmond.

publicidade
Primeira múmia grávida do mundo. Imagem: Academia Polonesa de Ciências
Primeira múmia grávida do mundo. Imagem: Academia Polonesa de Ciências

A gestação foi descoberta após exames de tomografia computadorizada e raios-x, que indicaram restos mortais de cerca de 26 a 30 semanas dentro da egípcia. Teste mais aprofundados revelaram ainda que o feto morreu junto com a mãe.

A equipe não soube explicar o motivo de os restos do feto não terem sido mumificados separadamente, o que seria o correto, mas acreditam que possa ter a ver com o pouco tempo de vida e crenças antigas a respeito da importância de ter um nome. Como a gestação foi interrompida, a criança não nasceu e não tinha um nome.

Para os egípcios, sua vida após a morte então só poderia acontecer se ele fosse para o mundo dos mortos como parte de sua mãe. 

Primeira múmia grávida do mundo. Imagem: Academia Polonesa de Ciências
Primeira múmia grávida do mundo. Imagem: Academia Polonesa de Ciências

Leia mais!

Além disso, os pesquisadores observaram que o corpo, que morreu há 2.000 anos, foi encontrado em túmulos reais, embrulhado com tecidos finos e embalsamado junto com amuletos que representam os quatro filhos de Hórus, o que sugere que provavelmente ela era importante e fazia parte da elite do local.

“Esta múmia oferece novas possibilidades para estudos de gravidez na antiguidade, que podem ser comparadas e relacionadas a casos atuais”, disse um dos autores do estudo. 

“Além disso, este espécime lança uma luz sobre um aspecto não pesquisado dos antigos costumes funerários egípcios e interpretações da gravidez no contexto da antiga religião egípcia”, acrescentou outro, que acredita que a descoberta irá ajudar, inclusive, em pesquisas sobre “a saúde perinatal e a infância no antigo Egito.”

A primeira múmia grávida do mundo, que morreu durante o século 1 a.c., época em que Cleópatra era rainha, está atualmente em exposição no Museu Nacional de Varsóvia.

Fonte: Daily Mail

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!