EnglishPortugueseSpanish

Nesta segunda-feira (3), um dos casais mais antigos do mundo da tecnologia anunciou a separação: Bill e Melinda Gates estão se divorciando após 27 anos juntos. O anúncio foi divulgado nas respectivas redes sociais de ambos.

Apesar da decisão, os dois executivos continuarão com o trabalho à frente da Fundação Bill e Melinda Gates.

publicidade

“Ao longo dos últimos 27 anos, nós criamos três filhos incríveis e construímos uma fundação que trabalha em todo o mundo para permitir que todas as pessoas tenham uma vida saudável e produtiva. Continuamos a compartilhar a crença nessa missão e continuaremos nosso trabalho juntos na Fundação, mas não acreditamos mais que podemos crescer juntos como um casal nesta fase de nossas vidas”, disseram eles, em comunicado.

O casal fundou a organização filantrópica em 2000 e, desde então, seguiram com diversas iniciativas com foco em saúde e diminuição da pobreza no mundo.

Combate ao coronavírus

No último ano, a instituição de Bill e Melinda teve uma atuação ativa no combate à pandemia, alocando US$ 150 milhões para a produção de vacinas contra a covid-19. A distribuição das doses visava endereçar 92 países, entre eles o Brasil.

Em solo nacional, inclusive, a Fundação Bill e Melinda Gates contribui atualmente com um estudo para vacinação em massa na cidade de Botucatu, no interior de São Paulo, em uma parceria que conta com o Ministério da Saúde (MS), a Universidade Estadual Paulista (Unesp, campus Botucatu) e a Prefeitura da cidade.

Segundo relatou a Unesp no final de abril, quando foi anunciada a iniciativa, as doses serão doadas pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), com apoio do Ministério e os testes devem se estender por um período de oito meses.

Veja também!

A intenção é testar a eficácia da vacina contra o coronavírus desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca, um dos dois imunizantes atualmente administrados no Brasil. A previsão é que os resultados do estudo sirvam de referência para outros países do mundo.

Vale lembrar que essa já não é a primeira vez que a Fundação realiza uma parceria com o Ministério da Saúde brasileiro para o combate a doenças. Em 2018, o MS, junto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), selaram um consórcio que recebeu uma doação no valor de R$ 2,2 milhões pela Fundação de Bill e Melinda para o combate à malária.