O estúdio Universal Pictures barrou um reboot de ‘A Múmia’ proposto por Clive Barker (‘Hellraiser’) e Mick Garris (‘Montado na Bala’), que teria como protagonista uma personagem transexual. A ideia de roteiro foi veemente negada nos anos 1980, porém alguns anos mais tarde, em 1999, o filme ganhou uma versão protagonizada por Brendan Fraser e Rachel Weisz, que foi sucesso de bilheteria no mundo inteiro.

“[O roteiro não foi aceito porque] tinha a primeira mudança de gênero. Transexual. Então, estávamos à frente da curva. No começo da história, há um menino recém-nascido, que é claramente importante para a narrativa. Cortamos para vinte anos depois e não há mais sinal desse cara, aparentemente, mas há uma maravilhosa, estranha e misteriosa mulher, que se torna parte da narrativa, uma peça realmente importante”, detalhou Barker em entrevista ao podcast Post Mortem with Mick Garris.

publicidade
'A Múmia' (1999). Imagem: Universal Pictures/Divulgação
‘A Múmia’ (1999). Imagem: Universal Pictures/Divulgação

“Não quero falar muito porque faremos [o reboot] algum dia, eu espero. Acho que temos que falar com a Netflix [sobre produzir o filme]”, afirmou o cineasta, que lamenta ter tido a ideia de tentar incluir uma personagem trans em um filme durante os anos 1980. “Esse pequeno garoto, que nasceu no começo da história, se torna essa mulher requintada. Porém, essa foi nossa ingenuidade. Como poderíamos ter pensado, em 1989, quando entregamos o roteiro, que eles [a Universal] diriam: ‘Ah, ótimo!'”.

Também ao podcast, Garris brincou ao dizer que Barker só suspeitava que a narrativa trans foi uma “parte importante” para rejeição do estúdio, mas ele já tinha certeza. “[Ao ouvir a ideia], logo pensei: ‘eles nunca vão fazer esse filme”, afirmou o roteirista, ao que Barker respondeu: “Acho que tive uma atitude um pouco ingênua [em relação] aos engravatados”.

Leia mais:

Ainda na entrevista, Barker declarou que espera que seu roteiro de ‘A Múmia’ possa eventualmente ser produzido, observando que Hollywood tem “aceitado mais histórias trans nas últimas décadas”. Abertamente gay, o cineasta admite que já enfrentou forte escrutínio de magnatas do cinema por tentar incluir ideias LGBTQ+ ao longo de produções feitas em sua carreira.

E embora o estúdio da Universal tenha rejeitado a proposta em 1989, a história de ‘A Múmia’ – que teve o filme original lançado em 1932, por Karl Freund – ganharia não só mais uma, como quatro adaptações (além de um desenho animado) ao longo das três décadas seguintes. Primeiramente com o filme de ação e aventura de Stephen Sommers em 1999, estrelado por Brendan Fraiser, que recebeu duas sequências. Em 2017, houve um reboot dirigido por Alex Kurtzman e estrelado por Tom Cruise, mas que foi considerado um fracasso pela crítica especializada.

Reboot de 'A Múmia' (2017). Imagem: Universal Pictures/Divulgação
Cena do reboot de ‘A Múmia’ (2017). Imagem: Universal Pictures/Divulgação

Fonte: CBR

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!