Chegou ao fim, nesta terça-feira (4), a vigésima primeira temporada do BBB. Juliette Freire, como já se esperava, sagrou-se campeã desta que se destacou como a edição de maior audiência dos últimos oito anos. Mas, com um diferencial: essa audiência, como vem acontecendo há algum tempo nesse e em outros realities shows, não é restrita ao público de televisão. A internet ganhou força e praticamente dita os rumos desses programas.

E, se a edição de 2020 foi marcada pelo surgimento e crescimento do uso do marketing digital com a chegada dos participantes já famosos, como Manu Gavassi e Bianca Andrade, o BBB 21 será lembrado pela profissionalização dos administradores de mídias sociais, os ADMs.

publicidade

Esses profissionais, que trabalharam duramente na criação da imagem de seus clientes/amigos e na mobilização do público enquanto o jogo acontecia dentro da casa, foram peças fundamentais para conter os incêndios externos muito além do “fogo no parquinho”.

O que é necessário para ser um ADM de mídias sociais

Em primeiro lugar, para cuidar das redes sociais e responder pelo cliente, é necessário ser alguém de extrema confiança. A experiência com marketing digital pode ser um diferencial, mas não é o mais importante. Até mesmo a campeã Juliette, considerada um fenônemo de mídia, não contou com uma equipe profissional. Deborah Vidjinsky, amiga da agora milionária, dividia espaço num salão de maquiagem com a sister e nunca trabalhou na área.

BBB
Deborah Vidjinsky, amiga de Juliette Freire, dividia espaço num salão de maquiagem com a sister e nunca trabalhou na área de marketing digital. Hoje, lidera uma equipe de 15 colaboradores. / Imagem: Acervo Pessoal/Deborah Vidjinsky – Instagram

Deborah lidera uma equipe de 15 membros, que se fizeram necessários com o passar dos dias. Afinal, os trabalhos de redação, assessoria de imprensa, webdesign, análise de marketing, análise de SEO (Search Engine Optimization), entre outros, começaram a ficar demais para uma pessoa só. 

Esse pessoal, geralmente, é remunerado, mas, algumas equipes, como no caso de Juliette, contribuem voluntariamente. Pelo menos, de início. Com o sucesso da cliente, agora, obviamente virá a retribuição.

Uma das principais atribuições dessa equipe é a humanização do personagem, ou seja, demonstrar para o público que o participante não é somente uma peça no jogo, mas alguém real. E, para isso, recorrem a fotos, vídeos e outras ferramentas relacionadas à vida da pessoa do lado de fora da casa mais vigiada do Brasil. 

É aí que seus familiares, amigos e até animais de estimação viram “subcelebridades”, como uma “extensão” do participante. Por exemplo: graças ao trabalho dos administradores de Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, que ficou em quarto lugar na disputa, D. Jacira, a “mainha”, ficou tão famosa que teria até partido político a sondando para ser candidata a deputada estadual de Pernambuco.

Outro papel da equipe é dominar as diversas redes sociais disponíveis. Ou, pelo menos, as mais utilizadas pelos espectadores: Instagram, Twitter e Facebook. Alimentar essas redes constantemente é fundamental para manter o nome do cliente em evidência.

Não “passam pano”

Ao contrário do que se imagina, os ADMs não podem “passar pano” para seus pupilos. A expressão, variação do “varrer para debaixo do tapete”, significa acobertar ou tentar minimizar a gravidade de um ato. O correto é, de algum jeito, falar sobre as atitudes ou dizeres polêmicos do seu “brother”, sem parecer querer “justificar o injustificável”.

Foi o que aconteceu com a participante Sarah Andrade, oitava eliminada do BBB 21. A brasiliense, que liderou por muito tempo o ranking de preferência do público em diversas enquetes na web, foi perdendo o favoritismo de acordo com a exposição de pensamentos questionáveis e até reprováveis. Sarah chegou a chamar de “frescura” os protocolos contra a Covid-19 e a admitir ter ido a uma festa de réveillon clandestina, na virada de 2020 para 2021, quando o Brasil já contabilizava mais de 192 mil mortos pela doença.

Em um episódio, a participante encontrou uma máscara de proteção em sua mala e tratou o acessório com deboche. “Vou entrar assim hoje no ao vivo. Isso [a máscara] está aqui desde o meu primeiro dia e aí eu não tirei. Virou até piada para a gente, porque tem tanto tempo que a gente não usa. Pensando nas vítimas do (sic) Covid”, disse a loira aos risos. Vale destacar que, no mesmo dia, o Brasil chegou à marca de 294 mil vítimas fatais da doença.

BBB
ADMs de Sarah Andrade precisaram se posicionar sobre falas polêmicas da participante sobre a pandemia. / Imagem: Captura de tela – Instagram

No Instagram, a equipe de Sarah se posicionou. “Estamos aqui para reafirmar nosso posicionamento contra qualquer desrespeito sobre a pandemia. Sarah errou muito em declarações sobre um assunto tão delicado e que afeta tristemente todos nós. Nós, como equipe, acreditamos que aqui fora ela entenderia a gravidade do que estamos vivendo e sabemos que sua atitude também será de se desculpar! Lamentamos as falas e pedimos desculpas a todas as vítimas e familiares! Desta forma, nos comprometemos em alertarmos nossos seguidores constantemente sobre a gravidade da pandemia por aqui”.

Posicionamentos como esse são primordiais para o bom exercício de mais uma das atribuições dos ADMs: a gestão de polêmicas visando à imagem do participante pós-BBB (principalmente no que se refere a futuros contratos publicitários).

Alianças, mutirões e outras estratégias de guerra

A eliminação de Gilberto pegou parte do público de surpresa, já que o economista era um dos favoritos ao prêmio, embora a vitória de Juliette já fosse prevista. Mas, justamente para evitar a “zebra”, a equipe da maquiadora se mobilizou para tirar o amigo do caminho. 

BBB
Amigos, amigos, 1,5 milhão à parte: “exército” de Juliette Freira se uniu à torcida de Camilla de Lucas para eliminar Gilberto Nogueira, amigo da sister dentro do BBB. / Imagem: Instagram Juliette Freire

Contando com um exército de mais de 22 milhões de seguidores à época (hoje, já passam de 26 milhões), os administradores se uniram à torcida de Camilla de Lucas, que formava a berlinda com os dois, pedindo expressamente ao público que votassem pela saída de Gil. 

Mutirões de votação não são novidade, mas ganharam novas formas a partir da edição passada. Organizações de grupos via Whatsapp, Instagram e Twitter garantiram, por exemplo, o recorde de votações da história de todos os programas de televisão do mundo, na ocasião do embate entre Felipe Pior, Manu Gavassi e Mariana Gonzalez. O número de votos registrados entre 27 e 29 de março de 2020 foi de 1.532.944.337 (um bilhão quinhentos e trinta e dois milhões novecentos e quarenta e quatro mil trezentos e trinta e sete). O marco concedeu ao programa um certificado especial do Guinness World Records.

Inscrições reabertas

Se você sonha em se tornar milionário por meio do Big Brother Brasil, saiba que as inscrições para a próxima edição foram reabertas nesta quarta-feira (5), assim que acabou o BBB 21.

Não se esqueça das dicas acima, forme uma boa equipe de ADMs e boa sorte!