Em um estudo que percorreu mais de 75,5 mil quilômetros, cientistas conseguiram medir com precisão os pontos mais profundos de cada um dos cinco oceanos da Terra. Foram 39 mergulhos durante dez meses, entre 2018 e 2019, para criar mapas mais precisos das águas que cobrem a maior parte do globo. E deste trabalho, surgiu uma confirmação: a Fossa das Marianas é a mais profunda de todas.

A Five Deeps Expedition (FDE), ou Expedição de Cinco Profundidades, em português, foi chefiada pelo doutor Alan Jamieson, da Universidade de Newcastle, da Inglaterra. Para os mergulhos, o grupo usou o Limiting Factor (LV, fator limitante, em português), um submersível capaz de levar duas pessoas. Cerca de 61% dos locais visitados pela FDE nunca haviam sido mapeados com tecnologia moderna.

publicidade

Leia mais:

Dentro do submersível havia uma eco-sonda multifeixe de profundidade total do oceano de última geração. O equipamento emitia uma série de pulsos sonoros para mapear cada parte do fundo do mar. O ex-oficial de inteligência norte-americano Victor Vescovo era quem lançava o LV nas missões.

Ele se tornou a quarta pessoa na história a chegar à Depressão Challenger, ponto mais baixo da superfície terrestre, em maio de 2019. Na Fossa das Marianas, Vescovo encontrou três novas espécies de vida marinha, recuperou o pedaço mais profundo de rocha do manto da Terra e encontrou um saco plástico e um pacote de bombom. Exemplos da distância que a poluição alcançou.

Pontos mais profundos dos oceanos

Os cientistas conseguiram mapear os pontos mais profundos dos oceanos com precisão. Imagem: FDE/Divulgação

A Depressão Challenger segue como o local mais profundo dos oceanos, com 10.924 metros de profundidade. No Oceano Pacífico, o segundo lugar mais fundo é a Depressão Horizonte, na Fossa de Tonga, a 10.816 metros de profundidade. Ela é também a segunda maior de todo o globo.

O Oceano Atlântico tem seu ponto mais baixo na Fossa de Porto Rico. A Depressão Brownson fica a 8.378 metros de profundidade. Já o Oceano Ártico tem o menor dos pontos mais profundos entre os cinco oceanos analisados. Lá, a Depressão Molloy mede 5.551 de profundidade.

Os dados coletados pelos cientistas também apontaram pela primeira vez os pontos mais profundos do Oceano Índico e do Oceano Austral (ou Glacial Antártico). Esse último nada mais é do que um prolongamento meridional dos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico.

No Índico, o ponto mais baixo fica a 7.187 metros e ainda não tem nome, mas fica localizado na Fossa de Java, perto da costa da Indonésia. Antes, especulava-se que o local mais profundo era a Zona de Fratura de Diamantina, mas essa área perde por pouco, com 7.019 metros de profundidade.

A Depressão Factorian fica no Oceano Austral, com 7.432 metros, na ponta sul da Fossa das ilhas Sandwich do Sul. Há ainda uma informação interessante sobre esse cálculo. O ponto mais profundo da Fossa das ilhas Sandwich do Sul é a Depressão do Meteoro, com 8.265 metros, mas essa parte fica ainda no Oceano Atlântico.

Os pesquisadores publicaram o estudo no Geoscience Data Journal, liderados por Cassandra Bongiovanni, pesquisadora hidrográfica-chefe da FDE. “A expedição nos possibilitou uma oportunidade única de mapear com precisão alguns dos lugares mais remotos e profundos do mundo e de validar essas profundidades com medições coletadas pelos submersíveis e mergulhos de apoio”, disse ela ao Daily Mail.

Via: Daily Mail

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!