As pessoas tendem a marcar consultas oftalmológicas apenas quando possuem algum desconforto na hora de enxergar. O problema é que há diagnóstico de várias doenças que podem ser detectadas com o check-up em tempo de pandemia, inclusive a covid. De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier, muitos sintomas oculares estão relacionados a alterações em outras áreas.

“Nos consultórios oftalmológicos é possível detectar doenças oculares e sistêmicas através do exame de fundo de olho que mapeia todo nosso organismo. Isso só é possível porque o olho é o único órgão que permite visualizar todos os vasos e artéria”, explicou.

publicidade

Além disso, existem doenças que afetam o ocular só que estão relacionadas a alterações em outras partes do corpo. Um recente estudo realizado com 83 pessoas contaminadas por covid que foi publicado na BMJ Open Ophthalmology demonstrou esta ligação, justificando a importância das consultas oftalmológicas.

Dias antes de serem diagnósticas com coronavírus, 23% dos participantes sentiram os desconfortos do olho seco: coceira, vermelhidão, sensação de areia nos olhos e visão embaçada. O oftalmologista disse que a lágrima tem a função de proteger os olhos das agressões externas, incluindo vírus e bactérias.

publicidade

Isso explica porque quem tem alterações na lágrima acaba ficando mais vulnerável a ser infectado por covid por conta da conexão das superfície ocular com o nariz pelo ducto lagrimal.

As consultas oftalmológicas ajudam a conseguir mapear nosso organismo, Neto relatou que o exame de fundo de olho é feito com a pupila dilatada e um oftalmoscópio, lente que aumenta diversas vezes o nervo óptico, retina e vasos. Porém, o exame não é preventivo – nem para a covid ou outra doença – porque já está instalada, por outro lado, permite controlar situações como: evolução da hipertensão arterial, diabetes, doenças reumáticas, tuberculose, toxoplasmose, lepra, AIDS, e até tumores intracranianos.

publicidade

Veja os sinais de alerta:

·       Pupila contraída: Indica uveite, inflamação da uvéa que é formada pela íris, corpo ciliar e coroide.

publicidade

·       Pupila dilatada: Sinaliza tumores, glaucoma, trauma, doenças do sistema nervoso central.

·       Visão dupla: Aponta tumor intracraniano, acidentes vasculares centrais, traumas ou hiperglicemia.

·       Olhos saltados e inchaço: São sinais, principalmente, de distúrbios da tireoide.

·       Mudança na cor dos olhos: É causada por medicamentos ou inflamações oculares.

·       Cegueira momentânea: Indica tumor intracraniano, má circulação no cérebro ou arritmia cardíaca.

·       Visão borrada: Ocorre no diabetes, sangramento ocular, inflamação, hipertensão arterial.

·       Olho seco:  Indica disfunções hormonais, menopausa ou Síndrome de Sjogren, doença reumática crônica.

Ademais, o especialista enfatizou que a dor de cabeça está relacionada à visão e aparece para quem passou dos 40 anos: “Também atinge quem tem grande diferença de grau entre os olhos ou não atualiza os óculos há mais de um ano.”

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!