Em novembro de 2020, o Google lançou o Chrome 86 para Android e possibilitou o “back-forward cache”, que é um serviço para manter a cache das paginas web fechadas pelo usuário. Portanto, quando a pessoa clica no botão “próximo” ou “anterior”, as páginas são abertas e carregadas de forma instantânea na internet.

Na versão para os desktop, quando a pessoa fecha alguma página na web, a sua cache é eliminada logo de imediato. O que significa, que se quiser abrir novamente, terá de carregar todo o seu conteúdo. O intuito disto é reduzir o consumo de memória, porém, deixa o navegador mais lento.

publicidade

De acordo com as informações do Google, a integração da função “back-forward cache” no Chrome para o Windows, macOS e Linux facilitará a vida de muita gente. Há anos que essa atualização está em desenvolvimento e agora, já está disponível na versão Canary, que é dedicada para desktop.

“O back-forward cache é um recurso do navegador que melhora a experiência do utilizador, mantendo uma página activa depois de o utilizador se afastar da mesma, e a reutiliza para tornar a navegação no histórico da sessão mais suave (como botões de navegação para trás e avançar) e tornar a navegação instantânea. As páginas de cache estão congeladas e não executam mais qualquer javascript”, explicou o Google

Por outro lado, esta opção ainda não está ativa. Segundo o Windows Latest, o Google irá implementar esta novidade para todos no Chrome 92, a partir do dia 20 de Julho de 2021.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!