Não será necessário pegar um táxi para a estação lunar para acompanhar os fenômenos da madrugada de 26 de maio (e não 16, Zé Ramalho!). A próxima quarta-feira reserva a maior superlua de 2021. No mesmo dia, acontece um eclipse total da lua que, infelizmente, não será visto do Brasil. No país, apenas uma parte do fenômeno ficará visível em algumas regiões.

A superlua deste mês, conhecida nos EUA como “Lua das Flores” (Flower Moon), vai mostrar todo o seu amor no horizonte a leste a partir das 18h20. Durante o eclipse, o belo satélite natural da Terra pode assumir uma cor avermelhada, recebendo o apelido de “Lua de Sangue”.

publicidade

Leia mais:

Normalmente, a Lua está a 384,5 mil quilômetros da Terra, mas como a órbita não é um perfeito círculo, a distância varia. No perigeu, ponto onde o satélite está mais próximo, ela fica a 357.311 quilômetros. A diferença a olho nu, contudo, não é tão grande. Apenas aqueles observadores mais ávidos conseguem notar.

É o eclipse que vai mudar a coloração visível: a mudança ocorre por causa da atmosfera terrestre. Quando os raios de Sol passam por ela, pequenas moléculas que compõe a atmosfera espalham a luz azul, o que dá ao céu a cor azul.

Isso deixa a luz vermelha, refratada, para trás, na sombra. Quando ela recai sobre a lua durante um eclipse total, a coloração vermelha se torna visível. O mesmo efeito é o que torna o nascer e o por do sol avermelhados.

Mapa dos locais onde o eclipse lunar será visível. No centro do mapa, que mostra os continentes africano e europeu, o fenômeno não será visível. Imagem: Nasa/Divulgação

Aqui no Brasil o eclipse começará às 5h47 (horário de Brasília), tendo como base o Rio de Janeiro, de acordo com o site Time and Date. Lá, é possível informar sua localização para saber se você terá uma vista privilegiada do fenômeno.

Infelizmente, vista aqui do Brasil a Lua não vai entrar totalmente na sombra (umbra) da Terra, mas parcialmente apenas na penumbra. Seu brilho diminui, mas a mudança é muito sutil para ser observada pela maioria das pessoas.

Como observar

Para se orientar e olhar para o lugar certo é preciso saber como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android, a recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

Reprodução de como acontece o eclipse, fora de escala. Imagem: Nasa

Calendário astronômico de maio

26 de maio: teremos a maior “superlua” do ano, conhecida nos EUA como “Lua das Flores” (Flower Moon) surgindo no horizonte a leste a partir das 18h20.

No mesmo dia teremos um eclipse total da Lua, que infelizmente na maior parte do Brasil será visto apenas parcialmente. Durante o eclipse a Lua pode assumir uma coloração avermelhada, dando-lhe o apelido de “Lua de Sangue”.

Quem mora na região norte poderá ver um “eclipse penumbral”: a Lua estará na penumbra, parte da sombra da Terra que bloqueia apenas parte da luz do Sol, em vez de sua totalidade. Na prática, isso resulta numa redução do brilho da Lua, em vez de sua ocultação, algo que dificilmente é notado.

27 de maio: lançamento da missão OneWeb 7 com 36 satélites da constelação de internet OneWeb, concorrente da Starlink. Um foguete russo Soyuz decolará do cosmódromo Vostochny, na Sibéria.

30 de maio: mais uma conjunção entre a Lua e Saturno. O par estará visível a partir das 22:25, quando surgir no horizonte ao leste. Saturno estará alinhado com a Lua, à sua esquerda.

Via: Space

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!