A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu mais um pedido de vacina para uso emergencial, dessa vez do laboratório chinês CanSino. O pedido foi feito pela empresa Belcher Farmacêutica, representante da fabricante no Brasil. A análise da documentação já foi iniciada.

A Agência agora deve se manifestar em até sete dias úteis, caso todos os requisitos legais tenham sido cumpridos pela empresa solicitante. O prazo é determinado por uma nova lei aprovada no começo de março.

publicidade

Vacina da CanSino

A vacina da CanSino é aplicada em apenas uma dose. Na fabricação, é utilizado adenovírus humano não replicante. O imunizante é desenvolvido em parceria com a Academia de Ciências Médicas Militares da China.

Leia mais:

Os resultados dos testes clínicos apresentados pelo laboratório indicam uma eficácia contra casos sintomáticos da Covid-19 de 65% e chega a 90,07% para os casos graves da doença. Os ensaios foram desenvolvidos no Paquistão, na Rússia, no Chile, na Argentina e no México.

A Anvisa informou que fez duas reuniões com representantes do laboratório CanSino para discutir os documentos necessários para a aprovação da vacina. Nessas ocasiões, foram apresentados os procedimentos necessários

Até o momento, a Anvisa já aprovou outras cinco vacinas contra a Covid-19 no Brasil. A Sputnik V é outra que entrou com o pedido, mas até agora teve a solicitação negada. A CoronaVac, a vacina de Oxford e a da Pfizer estão em aplicação por aqui.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!