Esqueleto gigante encontrado em praia de São Paulo desaparece misteriosamente

O esqueleto gigante encontrado na praia da Barra do Una, na cidade de Peruíbe, litoral sul de São Paulo, desapareceu misteriosamente menos de um dia depois de ser encontrado. Especialistas acreditavam que a ossada pertencia a uma baleia que foi enterrada no local há 12 anos, mas novas análises precisavam ser feitas para confirmar a hipótese.

Uma equipe do Instituto Biopesca se preparava para ir até o local verificar o esqueleto, contudo, foram impedidos de chegar até o local por conta da passagem de um ciclone extratropical. No dia seguinte, sábado (22), os técnicos entraram em contato com gestores da Estação Ecológica Jureia-Itatins para combinar a visita, mas foram informados de que o esqueleto havia desaparecido do local.

Aparentemente, os ossos foram desenterrados pela maré. Imagem: Reprodução/Redes sociais

De acordo com os gestores, restaram no local apenas duas vértebras e alguns ossos menores do esqueleto, que, originalmente, tinha cerca de quatro metros de comprimento. Agora, biólogos e veterinários do Instituto Biopesca se preparam para verificar pessoalmente o que pode ter acontecido entre terça-feira (25) e quarta-feira (26), dependendo das condições climáticas para confirmar a data.

O que pode ter acontecido?

“Estamos trabalhando com algumas hipóteses para o que aconteceu”, declarou o coordenador do Instituto Biopesca, Rodrigo Valle, ao portal UOL. “A primeira é que a ossada pode ter sido parcialmente enterrada novamente, por conta do movimento da maré”.

“A segunda, é de que os ossos possam ter sido arrastados um a um para o mar, já que o esqueleto deveria já estar há um bom tempo ali e não possuía cartilagem ou tecido conectando esses ossos”, especula Valle, que é médico veterinário. Existe também a possibilidade, embora remota, de populares que visitaram a praia terem levado os ossos.

Leia mais:

O Instituto Biopesca também vai investigar como a ossada foi parar naquele ponto da praia de Barra do Una. Os técnicos acreditam que os restos sejam de uma baleia que encalhou já morta no local em meados de 2009, mas acabou sendo desenterrada pelo movimento das marés.

Os técnicos acreditam que o animal seja uma baleia-de-bryde, que, quando viva, pode chegar a 15,5 metros de comprimento. Seus filhotes, no entanto, têm em torno de quatro metros e pesam, em média, 680 quilos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!