O Nubank anunciou nesta quinta-feira (27) um aporte feito pelo fundo Base10 Partners, conhecido por apoiar companhias que geram algum tipo de impacto social e econômico para comunidade em que estão inseridas.

O investimento faz parte do Advancement Initiative Fund, uma iniciativa que tem por objetivo unir o trabalho de empresas de base tecnológica à criação de riqueza para minorias sub-representadas. O valor do fundo é de US$ 250 milhões.

publicidade

O Base10 Partners é considerado o maior do mundo liderado por uma pessoa negra: Adeyemi Ajao, um de seus fundadores e sócio-gerente do Base10 ao lado do também cofundador e sócio-gerente, TJ Nahigian.

Imagem mostra os dois cofundadores do Base10 Partners
Os dois cofundadores do Base10 Partners: Adeyemi Ajao (à esquerda) e TJ Nahigian (à direita). Crédito: Reprodução/Base10 Partners

Ade, como é conhecido no mercado, tem uma trilha de sucesso em tecnologia e investimentos, tendo cofundado a Tuenti, uma rede social que ficou conhecida por ser “o Facebook espanhol”, adquirida posteriormente pela Telefonica em 2010 (por um montante de US$ 100 milhões). O executivo também é cofundador e CEO da Identified, uma empresa especializada em inteligência artificial (IA) para RH, também vendida posteriormente ao Workday, em 2014; e foi investidor-anjo da Cabify.

O Advancement Initiative Fund foi idealizado pelo Base10 Partners com intuito de ampliar o acesso de grupos sub-representados no mercado de Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM, em inglês). A iniciativa conta, ainda, com algumas das principais universidades americanas focadas na comunidade negra, além de investidores.

“O Nubank está criando uma nova geração de serviços financeiros na América Latina com impacto real para o futuro de milhões de pessoas na região. Para nós, é motivo de orgulho fazer parte dessa revolução”, afirma Ajao.

Por aqui, o Base10 Partners também já participou de uma rodada de investimentos serie A da Yellow, em 2018, no valor de US$ 63 milhões, liderada pelo GGV Capital.

Veja também!

Por meio do Advancement Initiative Fund, o Base10 também vai doar 50% do lucro para as instituições educacionais parceiras do projeto, para financiar bolsas de estudo para alunos de grupos socialmente minorizados nos EUA.

Investimento em diversidade e equidade

A chegada do Base10 Partners ao quadro de investidores do Nubank está em linha com o posicionamento da instituição em investir em diversidade e equidade.

“Desde a fundação do Nubank, sabemos que formar times fortes e diversos era peça fundamental para cumprirmos a nossa missão de revolucionar o sistema financeiro na América Latina”, afirma David Vélez, fundador e CEO do banco digital.

“Receber o Base10 Partners em nosso grupo de investidores é mais um passo nessa direção e um reconhecimento de nosso compromisso social e econômico”, completa.

As ações promovidas pela fintech nesse âmbito já conta, por exemplo, com o Semente Preta, fundo de R$ 1 bilhão anunciado em março deste ano e que tem como principal objetivo apoiar negócios de base tecnológica fundados ou liderados por pessoas negras.

Imagem mostra o logo do fundo de investimentos do Nubank para empreendedores negros, o Semente Preta
Fundo de investimento Semente Preta, do Nubank, foca em injetar capital em negócios com base tecnológica fundados ou liderados por negros. Crédito: Reprodução/Nubank

Além disso, a instituição também firmou publicamente um compromisso de investir, inicialmente, R$ 20 milhões em um plano de ação com medidas de combate ao racismo estrutural no Brasil – começando por uma reestruturação dentro de casa.

A meta, nesse sentido, engloba o programa de recrutamento “Nós Codamos”, desenvolvido com foco em contratação exclusiva de talentos negros, para promover a diversidade racial em engenharia de software.

Até 2025, a meta da empresa é contratar duas mil pessoas negras para garantir um ambiente de trabalho com ao menos 30% de negros e negras em cargos diversos e ao menos 22% em cargos de gerência.

Dessas contratações, a empresa prevê mais de 500 colaboradores alocados no time de engenharia, pelo menos 150 para vagas para analistas de negócios e mais de 250 para posições de gerentes de produto, designers e cientistas de dados. Em 2021, a empresa contabilizou mais de 1 mil contratações, sendo que cerca de 50% delas de pessoas autodeclaradas negras ou pardas.

Também dentro desse trabalho de reestruturação, o Nubank prevê a criação de um centro de engenharia, design e experiência de cliente, o “NuLab”, em Salvador.

O Nubank, hoje, conta com mais de 38 milhões de clientes em todas as cidades brasileiras, além de operações no exterior – Colômbia e México – e escritórios na Argentina, Alemanha e Estados Unidos.

Com oito anos de operação, o banco digital já levantou mais de US$ 1 bilhão em rodadas de investimentos, com aportes de grandes nomes do mercado como Sequoia, Tiger Global Management, Tencent, Redpoint Ventures, Thrive Capital, entre outros – e, agora, também com o Base10 para somar.