Toda produção que chega empossada do redundante status de “baseado em fatos reais” chama atenção. Alguns ficam questionando se, de fato, aquilo mostrado nas telonas do cinema ou na tela da TV aconteceu. Já outros correm para os materiais de origem – livros, matérias de jornais, outros filmes, séries e documentários sobre o tema – buscando saber mais sobre o ocorrido mostrado. Bem, a nova série brasileira original do Amazon Prime Video, ‘DOM‘, já está gerando bastante expectativa nas redes sociais por conta disso: o público sabe quem é o protagonista e o que ele fez.

A trama estrelada por Gabriel Leone acompanha Pedro “Dom”, um rapaz que pertence à classe média do Rio de Janeiro, mas que se tornou usuário de drogas ainda criança e acabou virando o líder de uma violenta quadrilha especializada em assaltar edifícios de luxo. A história e o personagem dominaram os tabloides brasileiros nos anos 2000, o que gera ainda mais emoção e curiosidade à produção. E, mesmo que não tenha acompanhado o caso na época, não é difícil encontrar na internet notícias relacionadas ao “playboyzinho” e sua gangue ou ao “assaltante gato, loiro e de olhos azuis”.

publicidade

Todavia, quando o real – ainda mais uma história dessas – vira um produto midiático, é necessário cautela, calma e certa coragem. Afinal, o serviço de streaming teve em mãos um roteiro escrito em cima de fatos que envolvia muitas coisas: crimes, vício em drogas, corrupção policial, violência e, claro, a realidade em si – todos os elementos que, infelizmente, seguem presentes em todo o Brasil, especialmente em torno e no interior das favelas do Rio. O clichê “ouvir os dois lados” é sempre necessário em casos assim e, em ‘DOM’, o diretor Breno Silveira (‘2 Filhos de Francisco’) mostrou ao longo de oito capítulos – de 60 minutos cada, vale ressaltar – que ele tentou, ao máximo, abordar os limites entre o certo e o errado. E conseguiu? Difícil responder, pois o desafio de contar a história de Pedro “Dom” é totalmente válido, porém dificilmente chegaria, ao fim, sem algum deslize.

A série conta a história de como Pedro "Dom" (Gabriel Leone), filho do policial Victor (Flavio Tolezani), se tornou líder de uma facção criminosa no RJ. Imagem: Divulgação
A série conta a história de como Pedro “Dom” (Gabriel Leone), filho do policial Victor (Flavio Tolezani), se tornou líder de uma facção criminosa no RJ. Imagem: Divulgação

A investida nacional do Amazon Prime Video é, sem sombra de dúvidas, uma superprodução esplêndida. Gravada totalmente nas ruas do Rio e sem nenhuma cena filmada em estúdio, a série conta com fotografia e trilha sonora excelentes, que não perdem de jeito nenhum para longas e seriados do gênero drama policial em nível internacional. Com foco na realidade dos anos 2000, a caracterização dos locais também foi muito bem feita, desde cervejas do tipo “litrão” sobre mesas de plástico, passando por quadras de futsal ao ar livre nas comunidades com jogadores sem camisa e de bermudão, até as músicas icônicas da época – como ‘Minha Alma’, da banda O Rappa, e ‘Glamurosa’, de MC Marcinho.

Até a retratação dos bailes funk dentro das favelas, com rapazes segurando armas para o alto e moças “dançando até o chão”, chama a atenção em relação à fidelidade visual e sonora da época. A verdade é que não podia se esperar menos, visto que a produção de ‘DOM’ ficou sob a responsabilidade da produtora independente da América Latina mais indicada ao Emmy, a Conspiração. Títulos nacionais de peso como ‘Sob Pressão’, ‘Vai Que Cola’ e ‘Gonzaga: De Pai Para Filho’ também foram muito bem desenvolvidos nos mesmos aspectos.

Logo, é válido dizer – mesmo que ainda não tenha sido revelado – que houve, com certeza, um grande investimento financeiro na série. E a beleza (ou não) do Rio, as casas tijoladas em cima do morro, as festas, as praias e tudo mais ajudam a abrilhantar o trabalho dos atores protagonistas: Gabriel Leone (Pedro “Dom”), Flávio Tolezani (Victor Dantas do presente) e Filipe Bragança (do passado).

Elenco de 'Dom', série nacional original do Amazon Prime. Imagem: Divulgação
Gabriel Leone se transformou 100% em Pedro ‘Dom’ e ficou irreconhecível. Imagem: Divulgação

O “playboyzinho” foi retratado de forma digna, tanto em atuação quanto no visual. Leone (‘Eduardo e Mônica’) ficou irreconhecível como “Dom” – e, inclusive, admitiu em coletiva de imprensa que “foi uma entrega física e psicológica muito grande” ficar loiro e de olhos claros para a série. O esforço valeu a pena, visto que o ator de 27 anos ofereceu um trabalho cativante, alternando entre o sedutor e cômico e fazendo com que o espectador fique se perguntando o porquê de “estar torcendo” para um criminoso se dar bem e tentar voltar ao “caminho certo”. Os tiques comuns de um dependente químico, os surtos em meio ao desespero e a entrega total ao personagem o tornaram, sem sombra de dúvidas, o maior destaque da produção.

Flavio Tolezani (‘Verdades Secretas’) como o policial civil aposentado Luiz Victor Dantas atua apenas de forma segura e, por isso, tem altos e baixos ao longo dos oito episódios. Isso ocorre muito por conta do roteiro, que o desfavorece devido à sua inserção em vários núcleos que pouco agregam à história principal. Uma hora, o personagem aparece sendo o amoroso pai de Pedro “Dom’, que faria tudo para ver o filho bem. De repente, ele é um agente “secreto” ultrapreparado – quase um ‘Lupin‘, da Netflix – investigando a corrupção policial no Rio de Janeiro, enquanto disfarça a verdadeira identidade como um dono de serralheria. Ah, e tem a versão dele no passado, também…

Só que o Victor dos anos 1970 é Filipe Bragança (‘Chiquititas’). A trama em que ele atua é desconexa da premissa da série? Sim, e muito, mas o rapaz de 20 anos faz um ótimo papel em ‘DOM’, e é mais bem desenvolvido como personagem do que a “versão do presente”, na pele de Tolezani.

Elenco principal de 'Dom' inclui Gabriel Leone, Raquel Villar, Isabella Santoni, Ramon Francisco e Digão Ribeiro. Imagem: Amazon Studios/Divulgação
Elenco principal de ‘Dom’ inclui Gabriel Leone, Raquel Villar, Isabella Santoni, Ramon Francisco e Digão Ribeiro. Imagem: Amazon Studios/Divulgação

Além dos três protagonistas, a série também conta com um elenco formado por nomes como Raquel Villar, Isabella Santoni, Ramon Francisco, Digão Ribeiro, Laila Garin, Mariana Cerrone e Fábio Lago, que dão “um show em cena” sempre quando aparecem, cada um com sua particularidade.

Os seis primeiramente citados estão todos envolvidos diretamente no núcleo de Pedro “Dom”, seja como parte da gangue do jovem criminoso ou como familiar, mas Lago talvez seja uma das poucas coisas boas, junto com Bragança, que se salvam na história flashback meio sentido do jovem Victor. Assim como em ‘Cidade Invisível’ e em ‘Tropa de Elite’ – inclusive, o papel dele na série lembra muito o de Baiano -, o ator rouba a cena sempre que aparece.

Destaque também para Villar e, principalmente, Francisco, que humanizam o protagonista sempre que possível e ajudam a entender melhor o porquê de o personagem cativar tanto as pessoas em sua volta. Enquanto a atriz mostra boa química com Leone tanto em cenas de conflito como de sexo apaixonante, o melhor amigo de “Dom” envolve o espectador em momentos intensos sobre vício em drogas e roubo. Em suma, as boas atuações coadjuvantes são um bom trabalho do diretor, que permitiu certa liberdade dentro do roteiro e faz com que os personagens causem impacto durante a história toda.

Raquel Villar e Gabriel Leone tem boa química em série e mostram atuação de peso em cenas juntos. Imagem: Amazon Studios/Divulgação

Ao máximo, Silveira tentou não romantizar as ações erradas dos personagens e “brincou” com o yin-yang de cada um deles, mostrando em dose segura que os “bonzinhos também erram e os vilões ainda são pessoas”. O único deslize neste aspecto vai, justamente, para “Dom”. A fantástica interpretação de Leone não conseguiu mascarar a tentativa do diretor em transformar o líder de quadrilha em mártir, inclusive chegando ao ponto de afirmar que uma doença capaz de deixar Pedro insensível à dor física é uma das responsáveis por tornar ele quem é. Um público mais conservador, que acompanhou a história por manchetes de jornais, certamente não irá “engolir” isso.

Contudo, a romantização do protagonista não é um problema tão grande quanto o roteiro desenlaçado. A verdade é que, em vários momentos, parece que estamos assistindo duas séries ao mesmo tempo. A trama de “Dom” é superior e cativa mais o espectador, afinal, ele é o protagonista. Agora, os dois núcleos de Victor são bons e merecem créditos, de fato, mas poderiam ser desenvolvidos em outras produções – talvez um spin-off ou uma nova temporada -, pois destoa demais e agrega pouquíssimo à história principal. Toda vez que a premissa da trama começa a ficar mais interessante, há uma digressão desnecessária e o foco é perdido.

Flavio Tolezani é o policial Victor em 'Dom'. Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video
Flavio Tolezani é o policial Victor em ‘Dom’. Imagem: Divulgação/Amazon Prime Video

E tanto o núcleo meio espião de Victor-Tolezani quanto o de combate ao tráfico dentro da favela nos anos 1970 protagonizado por Bragança são bem produzidos, legais de assistir e, claramente, tem um objetivo: mostrar a verdadeira face da guerra às drogas, financiada muitas vezes por policiais/militares corruptos e pela alta sociedade. No entanto, o diretor não consegue fazer uma conexão clara entre todos os núcleos dentro da série com a história principal e, eventualmente, se perde dentro da própria premissa. Deu contexto para o personagem de Victor? Sim, mas o foco central e o nome da produção não é ‘DOM’?

Mesmo assim, Silveira consegue utilizar muito bem das digressões, por exemplo, ao mostrar a infância de “Dom’. O elenco infantil é sensacional e fez cenas realmente fortes e necessárias, chocando quem assiste, porém, ainda seguindo a linha de raciocínio da série. Ao mesmo tempo, há cenas que impressionam negativamente e que são completamente desnecessárias à trama – afinal, creio que ninguém pediu para ver Isabella Santoni urinando em lavatórios alheios…

'DOM': série brasileira do Amazon Prime Video estreia em junho. Imagem: Divulgação
‘Dom’ e a personagem de Isabella Santoni em cena de fuga. Imagem: Divulgação

Vale a pena assistir ‘Dom’?

‘DOM’ é incrivelmente bem desenvolvida e digna do status de “superprodução nacional”. A série chega ao catálogo do Amazon Prime Video sem ficar aquém de outras opções internacionais e com certeza chamará a atenção do público, seja pelas excelente atuações de Gabriel Leone no papel principal e dos coadjuvantes ou pelo retrato fiel do Rio de Janeiro no início dos anos 2000 – tanto no centro da cidade ou dentro das comunidades. Ah, e a trilha sonora da época, claro, é com certeza outro fator de destaque que vai repercutir nas redes sociais, de certo modo.

No entanto, a produção de streaming quis mirar no macro, sendo que poderia ter se mantido melhor no micro. Ou seja, com a trama baseada em fatos reais em mãos, a série poderia ter tido um enfoque maior no verdadeiro protagonista – afinal, não faltaria história ou interesse por parte dos espectadores. No entanto, a direção optou por criar outro núcleos com o mesmo peso na tentativa de criar um grande espetáculo do gênero policial, mas se perdeu da premissa. A tentativa de fazer Victor um ‘Lupin’ brasileiro seria legal em uma outra e diferente oportunidade, mas em ‘DOM’ soa como uma tentativa de “encher linguiça” e fazer com que os oito episódios tenham uma hora cada.

De qualquer forma, ‘DOM’ toma os riscos necessários por ser uma produção baseada em fatos reais e, querendo ou não, vai causar polêmica na medida correta para repercussões posteriores, tal qual em 2002, com ‘Cidade de Deus’ – filme que, inclusive, a série referencia com um “loirinho é o c*ralho, aqui é Pedro ‘Dom'”. A verdade é que, mesmo sendo um produto de streaming que será divulgado para outros países, a opinião do público brasileiro é quem irá ditar o quão ‘DOM’ será reconhecido no futuro, seja igual ou diferente ao personagem na vida real.

A série conta a história de como Pedro "Dom" (Gabriel Leone), filho do policial Victor (Flavio Tolezani), se tornou líder de uma facção criminosa no Rio de Janeiro (RJ). Imagem: Divulgação
A série do Amazon Prime é uma superprodução nacional, mas se perde ao tentar abordar duas histórias. Imagem: Divulgação

Quer assistir a série? Produção do estúdio Conspiração, e com Breno Silveira como showrunner e diretor, os oito episódios de ‘Dom’ chegam ao Brasil e em mais de 240 países pelo Amazon Prime Video no dia 4 de junho. Confira, abaixo, o trailer e mais detalhes com a sinopse oficial:

A sinopse oficial revelada pela Amazon diz: “A série conta a história de um belo rapaz da classe média carioca que foi apresentado à cocaína na adolescência, colocando-o no caminho para se tornar o líder de uma gangue criminosa que dominou os tabloides cariocas no início dos anos 2000: Pedro Dom. Alternando entre ação, aventura e drama, Dom também acompanha o pai de Pedro, Victor Dantas, que, na adolescência, faz uma descoberta no fundo do mar, denuncia às autoridades e acaba ingressando no serviço de inteligência da polícia”.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!