Em um novo relatório, os Estados Unidos informaram não terem encontrado “evidências alienígenas” nos vídeos de OVNIs vazados em abril. Entretanto, a investigação liderada por oficiais da inteligência americana e o Pentágono não conseguiu explicar os movimentos do objeto – o que gerou confusão entre cientistas, as forças armadas e entusiastas da ufologia.

O relatório enfatiza, por várias vezes, que a maior parte dos mais de 120 encontros com objetos voadores não identificados nos últimos 20 anos não vieram das Forças Armadas ou Força Aérea dos EUA. Com isso, o Pentágono exclui a possibilidade de que algum programa militar secreto tenha sido encontrado “por acidente” por pilotos da Força Aérea.

publicidade

Leia também

Entretanto, os vídeos mais recentes trazem pouca ou nenhuma conclusão sobre alguns movimentos inexplicáveis feitos pelos OVNIs capturados em vídeo: em um deles, um objeto acelera e executa mudanças repentinas de direção, além de submersão inédita. Especialistas da inteligência americana reconhecem que tais movimentos são fenômenos estranhos.

O interesse no assunto já vinha aumentando desde a época do vazamento dos vídeos, e só se fez ampliar quando o ex-presidente Barack Obama, durante entrevista com o apresentador britânico James Corden, disse: “o que é real, e estou falando sério aqui, é que existem gravações e vídeos de objetos nos céus que não sabemos exatamente o que são”. Depois, ele ainda complementou com a frase “existem coisas sobre as quais não posso falar no ar”.

Uma explicação oferecida pelo relatório é a de que os estranho fenômenos podem ter vindo de balões meteorológicos, mas os oficiais concedem que isso não se aplica em todos os casos analisados.

Outros vídeos supostamente de OVNIs consistem de manobras de treino realizadas por pilotos da Força Aérea, ou ainda movimentos de aviões militares de outras nações. Segundo os oficiais, uma parte disso envolve protótipos e projetos especiais da Rússia, China, além do próprio EUA.

Ao final de junho – especificamente, no dia 25 -, um novo relatório, sem edições ou cortes, deve ser divulgado publicamente, mas a expectativa é a de que ele não traga muitos novos detalhes frente ao que já foi mostrado na versão atual.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!