Durante o WWDC21, a Apple anunciou uma série de atualizações de privacidade do usuário, introduzindo três novas funções ao iCloud+ e também algumas mudanças de proteção do usuário à Siri.

Além disso, recursos de monitoramento de dispositivo mostram agora o que cada aplicativo instalado monitora, o volume de atividade, com quem eles compartilham e todas as informações referentes à sua identidade digital em um novo relatório, oferecendo maior controle ao usuário.

publicidade

Leia também

Imagem retirada do WWDC21, onde a Apple mostrou novos controles de privacidade do usuário. Figura mostra um relatório completo de quais dados do usuário um aplicativo usará no iOS 15.
Relatórios completos do uso de seus dados agora serão oferecidos aos usuários do iOS 15, graças a novos controles de privacidade da Apple. Imagem: Apple/Divulgação

A proteção aos dados recebeu algumas novidades de peso no iOS 15: no WWDC21, a Apple mostrou novos recursos que escondem seu endereço de IP nos e-mails enviados e recebidos, impedindo que rastreadores cruzem esse dado com seu histórico de navegação e determinem, por exemplo, a sua localização.

publicidade

Com os apps, há também a introdução de um relatório completo de privacidade, mostrando para o usuário quais dados são coletados pelos apps antes de serem instalados – e também como eles vão sendo trabalhados após a instalação: com quem o Facebook compartilha suas informações, por exemplo. Tudo isso é exibido em um relatório bastante minucioso, listando domínios de terceiros que possam ter recebido seu material sem que você saiba.

O iCloud+ ganhou novos aprimoramentos, com a versão paga da plataforma de armazenamento da Apple agora conta com três funções distintas, sem alteração nenhuma de preço:

publicidade
  • Hide my E-mail: função que cria, com apenas alguns toques, e-mails randomizados para que você não tenha que informar seu endereço pessoal quando for acessar alguma plataforma fechada por credenciais de login (salvando você de ter que deletar newsletters e anúncios invasivos por causa disso)
  • Private Relay: um sistema que funciona em segundo plano sempre que você usar o Safari, o Private Relay garante que todo o tráfego que sai do seu iPhone o faça sob forte criptografia, para que apenas você e a página que você visitar consigam ler o material.
  • Expansão do HomeKit: agora, mais dispositivos de segurança e vigilância poderão ser relacionados dentro da mesma conta do iCloud+, que detectará movimentos registrados por câmeras inteligentes e notificará os usuários que estiverem distantes. Mais além, todo o material capturado será processado dentro do dispositivo, então não há risco de que vazamentos comprometam informações armazenadas em servidores externos.

Finalmente, a assistente digital Siri processará (alguns) pedidos em caráter “on device”. Ou seja, mesmo sem internet, ela ainda será capaz de realizar funções básicas, como ajustar alarmes ou notificações de calendário. A importância disso para a privacidade é a de que nada que você peça a ela sairá do seu dispositivo. Como não há envio de nada para servidor algum, nem mesmo a própria Apple saberá quais são suas interações com o sistema.

Os novos recursos serão disponibilizados pela Apple na versão beta do iOS 15, prevista para chegar em julho de 2021.

publicidade

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!