A Amazon confirmou que passará a aceitar o PIX como forma de pagamento dentro da plataforma de e-commerce da gigante em breve. Quem falou sobre a novidade foi o gerente geral da Amazon no Brasil, Daniel Mazini, na última semana, durante uma coletiva de imprensa, quando questionado sobre a possibilidade de adoção da ferramenta.

O executivo não confirmou, no entanto, a data oficial para o lançamento do recurso.

publicidade
Imagem mostra a fachada de um prédio da Amazon, com o logotipo da empresa no topo.
Amazon confirma que aceitará pagamentos via PIX. Crédito: Tada Images/Shutterstock

A Amazon não é a única grande empresa a adotar o novo meio de pagamento. O concorrente Mercado Livre aderiu ao PIX em abril, e afirma que a ferramenta possibilita entregas mais rápidas, já que o vendedor recebe o valor do produto imediatamente.

Outra grande companhia que realizou o movimento foi o iFood, que adicionou o método de pagamento em sua aplicação no início de maio.

publicidade

Leia também!

PIX se tornou o “queridinho” dos brasileiros

Implementado pelo Banco Central (BC) no final do ano passado, o PIX, no início, levantou dúvidas em muitos brasileiros. Entretanto, pouco mais de 5 meses após o lançamento, a ferramenta já foi aderida por mais da metade da população que possui acesso à internet.

publicidade

A afirmação parte da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box, que investigou a popularidade do PIX ao entrevistar 2.028 indivíduos e chegou à conclusão que 73% dos internautas brasileiros já efetuaram, ao menos, uma transação via PIX.

Sem contar a disponibilidade do serviço — que funciona 24 horas por dia, sete dias por semana (inclusive nos feriados) —, o PIX se destaca pela rapidez nas operações, já que as transferências são liquidadas instantaneamente, mesmo fora do horário comercial. Além disso, é possível mencionar a gratuidade do serviço, bem como a segurança nas transações.

publicidade

Ao todo, o BC registrou mais de 1 bilhão de transações via PIX desde o lançamento do recurso, e estima-se que o serviço foi capaz de movimentar quase R$ 800 bilhões.

Via: LABS News

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!